sábado, 8 de março de 2008

LARGO DO CHIADO [ III ]

Largo do Chiado - (2006) Fotógrafo não identificado (Casa Havaneza e estátua de Fernando Pessoa) in www. porumfio.blogspot.pt

Largo do Chiado, 20 e 23 - (2006) Fotógrafo não identificado (Interior da loja VISTA ALEGRE) in http://www.maxima.xl.pt/

(Símbolo da Vista Alegre) (2006) in cronicas-portuguesas.blogspot.com

Largo do Chiado - (1968) Foto João Nunes (Igreja do Loreto e loja da Vista Alegre) in AFML

Largo do Chiado - (1970) Foto Armando Serôdio (Parte Sul do Largo do Chiado - A Mundial, Diário de Notícias e Igreja da Encarnação) in AFML

Largo do Chiado - (1960) Foto Arnaldo Serôdio (Igreja da Encarnação) in AFML

Largo do Chiado - (1960) Foto Arnaldo Madureira (Agência do Banco Fonseca & Burnay) in AFLM


Largo do Chiado - (ant. 1895) Foto Francesco Rocchini (Igreja do Loreto, fachada principal e lateral) in Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa





CASA HAVANEZA

Este popular estabelecimento, um dos mais antigos do CHIADO, está repleto de brilhante história e já possui os naturais pergaminhos, adquiridos à custa da sonora longevidade.

Data de 1865, a fundação da «Casa Havaneza», iniciativa que partiu de Ernesto Empis, associado da firma Henry Burnay & Cª.. A loja começou por uma só porta, talvez a que serviu ao "bauleiro" Joaquim Rodrigues (antigo número 126 da Rua Garrett), recebendo periódicas ampliações, até que se consolidou numa área a que ficaram correspondendo a seis portas que têm hoje, os números 24 a 29 no Largo do Chiado e os números 2 a 8 para a Rua Nova da Trindade.

A «Casa Havaneza» foi um dos pilares da vida Social de Lisboa.

Aquele espaço era um disputado local de convívio e estava transformado no quartel-general dos lisboetas elegantes.

No dizer de Eduardo de Noronha: «o habitante da "ilha dos galegos" contrasta com a peralta da Casa Havaneza(...). Do lado de cá o político, o literato, o galanteador, o aristocrata, o capitalista, o boémio, de quando em quando o homem de ciência; de lá, o rude campeão do músculo desconhecedor do nome dos ministros, desdenhoso do livro, quase fiel à mulher deixada na terra, tendo pelos titulares uma respeitável soma de desprezo, amontoando um pecúlio vintém a vintém, explorando os estroinas sem piedade, encarando a chamada civilização com a mais imperturbável filosofia».




VISTA ALEGRE

A fábrica de Porcelanas Vista Alegre em ÍLHAVO, próximo de Aveiro, foi fundada em 1824 por José Ferreira Pinto Basto, o mesmo que tinha mandado fazer um laboratório no jardim do seu Palácio (quase em frente da loja), para desenvolver as porcelanas famosas da Vista Alegre.

Mais tarde, em 1957, decidem abrir a sua primeira loja nos números 20 e 23 no Largo do Chiado.

O espaço foi ocupado mesmo ao lado da «Joalharia Leitão & Irmão» então joalheiros da Coroa.

A loja da «Vista Alegre» teve necessidade de crescer e, hoje, a entrada principal da loja e feita pela zona onde anteriormente estava o cofre-forte da joalharia. Nada foi alterado da traça original do edifício e até os vidros parecem ondulados, já que foram fabricados com a técnica do sopro, a única que se utilizava na altura.

Em 2001 a Vista Alegre funde-se com a Atlantis, conhecida pelo seu cristal de elevada pureza e "design", dando origem ao maior grupo ibérico de "Tableware" e "Giftware", e um dos maiores da Europa. Com o «Grupo Vista Alegre Atlantis», funda-se assim duas das mais prestigiadas marcas portuguesas.



LIVRARIA DIÁRIO DE NOTÍCIAS

Ainda no Largo do Chiado - há já bastantes anos - no número 9 encontramos a «LIVRARIA DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS» que faz esquina com a Rua António Maria Cardoso, a rua do extinto cinema "ChiadoTerrasse".



AS IGREJAS

No Largo do Chiado erguem-se duas importantes igrejas barrocas: a italiana, «IGREJA DO LORETO», no lado Norte, e a «IGREJA DE NOSSA SENHORA DA ENCARNAÇÃO», em frente, com as paredes exteriores parcialmente decoradas com azulejos.



( E assim deixamos o sítio do Chiado, caminhando para outra freguesia)

2 comentários:

Anónimo disse...

Boa tarde!

Tem certeza que a loja da Vista Alegre no Chiado abriu em 1957?
Mais faria sentido uma data durante o seculo 19!

Grato pelo seu trabalho valioso,

Kyriakos
kyrstef@yahoo.com

APS disse...

Caro KYRIAKOS

Agradeço as suas amáveis palavras a este blogue.

Quanto à loja da VISTA ALEGRE no Chiado sei que ela efectivamente existia em 1957. Acontece que um colega meu do "JORNAL DO COMÉRCIO", namorava uma funcionária dessa loja.

A informação foi retirada em 26.02.2008 da REVISTA MÁXIMA. Tenho a página impressa, mas o link que apresenta já não abre. No entanto pode tentar, eu estou a usar o CROME da GOOGLE, poderá eventualmente entrar ou abrir noutro sistema. LINK: http://www.maxima.xl.pt/1206/soc/200.shtml

Despeço-me com amizade
Cumprimentos
APS