quinta-feira, 10 de abril de 2008

RUA DO CARMO [ V ]

Rua do Carmo, 87A - (2008) Foto de APS (Luvaria Ulisses)
Rua do Carmo - (2002) Fotógrafo não identificado (Elevador de Santa Justa)
Rua do Carmo - (200-) Fotógrafo não identificado (O também chamado elevador do Carmo) in http://www.alexandervandergraaf.nl/
Rua do Carmo - (1971) Foto Joaquim Pereira Silvestre (Casa Leonel) in AFML

Rua do Carmo - (1971) Foto Joaquim Pereira Silvestre (Casa Aguiar) in Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa

(CONTINUAÇÃO)
«A RUA DO CARMO»
«LUVARIA ULISSES» e «ELEVADOR DE SANTA JUSTA»


A «LUVARIA ULISSES» instalada desde 1925 no número 87A da Rua do Carmo, é a luvaria mais antiga da baixa de Lisboa.
Fundada por Joaquim Rodrigues Simões, esteve no inicio da sua actividade (devido ao seu pequeno espaço) destinada aos serviços de escritório de duas lojas que o empresário possuía na chamada «MURALHA DO CARMO».
Esta loja dedicada exclusivamente à confecção própria e venda de luvas, orgulha-se de ser actualmente a única do país. O negócio mantém-se bastante próspero, motivado a um dos seus principais segredos da «ULISSES», a grande variedade de cores e os seus sete tamanhos de luvas.
Na sua decoração conserva o original, baseada no género «ARTE NOVA», predominando os espelhos e dourados, deixando ver o belo estilo dos anos vinte do século passado.
Acrescentamos à antiguidade desta loja a qualidade e perfeição, tendo como lema um ditado muito antigo: «é necessário que calce como uma luva»!


«O ELEVADOR DE SANTA JUSTA»
O elevador que liga a Rua do Ouro (mais exactamente a Rua de Santa Justa) ao Largo do Carmo e sendo bem visível na Rua do Carmo toda a sua estrutura, foi inaugurado em 10 de Junho de 1902.
O seu construtor foi o engenheiro nascido no Porto, de ascendência francesa; RAOUL MESNIER DU PONSARD. Este foi o seu primeiro elevador construído em ferro, na vertical. Sem dúvida, uma magnifica obra de engenharia.
A estrutura de ferro faz lembrar as construções do engenheiro francês Eiffel, o que fez nascer a lenda de que o elevador seria obra do autor da torre parisiense. Mas é só lenda: PONSARD foi o seu autor. E a verdade é que a obra foi concebida por forma a funcionar independentemente das variações de temperatura, de ventos ou até de um sismo.
Atendendo que a Carris detinha a exclusividade de todos os transportes de superfície na cidade de Lisboa, o elevador de Santa Justa passou a ser administrado por essa entidade - ainda que por arrendamento - em 1905, passando à posse definitiva da Empresa de Elevadores do Carmo em 1939.
Desde o ano de 1907, a energia eléctrica passou a ser a única usada no engenho.
Devemos acrescentar como nota curiosa, que o elevador começou por funcionar com contrapesos de água, depois a vapor, e mais tarde pela energia elétrica.

(CONTINUA)
(Próximo Grandes Armazéns do Chiado)


Enviar um comentário