sábado, 15 de agosto de 2009

PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XIX]

Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2009) (Esplanada do Café Nicola) Foto gentilmente cedida por Rafael Santos do Blog «DIÁRIO DO TRIPULANTE»
Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2008) - Fotógrafo não identificado (Café Nicola) in WORDPRESS

Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2008) - Fotógrafo não identificado (Interior do CAFÉ NICOLA e estátua de Manuel Maria Barbosa du Bocage) in MARCAS DAS CIÊNCIAS E DAS TÉCNICAS


Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2007) - Fotógrafo não identificado ( Café Nicola ) in JNPDI



Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2004) Fotógrafo não identificado (O Portal do Café Nicola) in RUAS DOS DIAS QUE VOAM
(CONTINUAÇÃO)
PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XIX]
«CAFÉ NICOLA»
Já em 1787 «A GAZETA DE LISBOA» falava no «CAFÉ NICOLA» do «ROSSIO».
Não fugindo à regra dos cafés do «ROSSIO» o «CAFÉ NICOLA» tinha como clientela políticos e literários, valendo-lhe a designação de «ACADEMIA». Era frequente encontrar neste estabelecimento, grupos de atentos assistentes aos improvisados poemas de «BOCAGE», que gracejava sobre personagens e hábitos locais.
Aparece este café ligado ao comércio da cidade de «LISBOA» apelidado de «NICOLA» desde meados do século XVIII, diz-se que por ter existido um italiano de nome «NICOLA» antes do terramoto que era fabricante de velas de cebo.
«MANUEL MARIA BARBOSA DU BOCAGE» (1765-1805) (ver mais aqui) morava no «BAIRRO ALTO», era frequentador muito assíduo deste café. Nos primeiros anos do século XIX o «NICOLA» ficara conhecido pela frequência de grandes figuras da nossa literatura e da política, que em épocas diferentes o frequentou.
Alguns destes, acusados de serem jacobinos e maçons, foram parar aos calabouços do «PALÁCIO DA INQUISIÇÃO», ironicamente também situada no «ROSSIO».
No ano de 1834 a loja é trespassada ao «SOMBREIREIRO DIAS».
No início do século XX esteve ali instalada a «OURIVESARIA XAVIER DE CARVALHO».
Em 2 de Outubro de 1929, por iniciativa de um antigo sócio do «CAFÉ CHAVE D'OURO», o «CAFÉ NICOLA» reabriu no mesmo local (números 24 e 25), sendo hoje um dos mais antigos cafés de Lisboa e o último café do «ROSSIO».
A história desta casa não se pode desassociar do poeta «BOCAGE», razão pela qual se encontra actualmente instalada uma estátua da autoria do escultor «MARCELINO NORTE DE ALMEIDA», no salão principal do «CAFÉ NICOLA»(ver mais aqui).
Já sob a administração de «JOAQUIM FONSECA ALBUQUERQUE» o café é remodelado na fachada, pelo arquitecto «NORTE JUNIOR» e o interior é da autoria de «RAUL TOJAL» (1935). É decorado com talha de madeira, molduras requintadas, ferros forjados e lustres ao gosto da época. As telas que ainda se encontram hoje no café e que representam cenas da vida de «BOCAGE», são da autoria do pintor «FERNANDO SANTOS». Para homenagear a história cultural do estabelecimento é instituído em 1985 o prémio «NICOLA DA POESIA».
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XX] (A FARMÁCIA AZEVEDOS E A FARMÁCIA ESTÁCIO)» - (Finalizando o percurso da Praça).




6 comentários:

Rafael Santos disse...

Lisboa é mesmo uma cidade com muita história...

APS disse...

É verdade amigo Rafael!

Lisboa têm mesmo muita história. É o produto de oito séculos de existência.

Estou a finalizar a «PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO)», que em pesquisa me deu imenso trabalho.

De seguida vou até à «RUA LUZ SORIANO», mas desta vez são só quatro episódios para não maçar.

Um abraço
APS

Marcia Faria disse...

Lisboa, apesar da idade avançada, continua mesmo linda e deixando saudades...

APS disse...

Cara Marcia Faria

Lisboa pode parecer ter idade, mas ela renova-se e servirá sempre para matar as saudades.

Cumpts
APS

Luisa Moreira disse...

Continu-o a ir ao Nicola com muito prazer, aliás sou frequentadora da baixa de Lisboa. É o mair Centro Comercial de Lisboa, e não o devíamos deixar morrer.

APS disse...

Cara Luísa Moreira

Estou de acordo que não devemos deixar morrer o comércio na baixa de LISBOA.

Mas e as condições...

Cumpts
APS