sábado, 24 de outubro de 2009

RUA DA BICA DE DUARTE BELO [ I ]

Rua da Bica de Duarte Belo - (anos 30 do século XX) Foto de Eduardo Portugal (Travessa da Portuguesa esquina com a Rua da Bica de Duarte Belo) in AFML
Rua da Bica de Duarte Belo - (1945) Foto de Fernando Martinez Pozal (Um troço da Calçada da Bica Pequena) in AFML

Rua da Bica de Duarte Belo - (1936) - Foto de Eduardo Portugal (Rua da Bica de Duarte Belo) in AFML


Rua da Bica de Duarte Belo - (1915) Foto de Joshua Benoliel ( De Sul para Norte - Final da Calçada da Bica Pequena, início da Rua da Bica de Duarte Belo, altura da paragem do Ascensor que só retomaria em 1923) in AFML
RUA DA BICA DE DUARTE BELO [ I ]
«O BAIRRO DA BICA (1)»
RUA DA BICA DE DUARTE BELO» pertence à freguesia de «SÃO PAULO». Começa na «CALÇADA DA BICA PEQUENA» no número 22 e finaliza no «LARGO DO CALHARIZ» no número 14.
É atravessada de Norte para Sul pela «TRAVESSA DO SEQUEIRO», «TRAVESSA DA LARANJEIRA», «TRAVESSA DA PORTUGUESA» e «TRAVESSA DO CABRAL».
Em paralelo com esta rua no lado esquerdo situa-se a «RUA DO ALMADA», à direita a «RUA DAS CHAGAS». No seu envolvente tem ainda a «CALÇADA DA BICA PEQUENA», «RUA DOS CORDOEIROS», «LARGO DE SANTO ANTONINHO» e a «CALÇADA DA BICA GRANDE» que ligada à «TRAVESSA DO CABRAL» formam o «BAIRRO DA BICA».
O aumento populacional motivado pelos descobrimentos, fez LISBOA transbordar para fora da «CERCA FERNANDINA» expandindo-se progressivamente junto do rio a às principais vias que lavavam às populações do termo.
Na segunda metade do século XV os terrenos onde hoje se ergue o «BAIRRO DA BICA» faziam parte da vasta propriedade de «GHEDÁLIA PALAÇANO», um influente Judeu da Corte de D. DUARTE e de D. JOÃO II.
Os domínios de mestre «GUEDELHA» (como era conhecido), estendiam-se para Ocidente das «PORTAS DE SANTA CATARINA» e dividiam-se em duas grandes herdades, separadas pela estrada de «SANTO» ou da «HORTA NAVIA» (actuais «RUA DO LORETO», «LARGO DO CALHARIZ» e «CALÇADA DO COMBRO»), parte da via que levava a «ALCANTARA» e «BELÉM».
A «HERDADE DE SANTA CATARINA» ocupava as terras mais altas onde haveria de surgir o «BAIRRO ALTO», enquanto a «HERDADE DA BOAVISTA», marginando o Rio TEJO, se prolongava até à Esperança.
"Dóna JUDIA", viúva de «GHEDÁLIA PALAÇANO», em 1487, afora as duas propriedades a «FILIPE GONÇALVES», estribeiro do Rei. Por volta de 1498, em consequência das perseguições aos Judeus, "Dóna JUDIA" vende o senhorio directo das duas herdades a «LUÍS D'ATOUGUIA», a quem o estribeiro ficou a pagar foro.
«FRANCISCA CORDOVIL», filha herdeira de «FILIPE GONÇALVES», desposou «BARTOLOMEU DE ANDRADE» a quem o senhorio directo, então «LOPO DE ATOUGUIA», em 15 de Dezembro de 1513, autoriza o sub-aforamento das herdades, em talhões, segundo uma malha ortogonal, para construção de casas. Os primeiros terrenos a serem urbanizados, muito requisitados, marginavam o rio.
Esta urbanização terá começado ainda em 1498 e aí se fixou uma população maioritariamente ligada às actividades marítimas.
Após 1513 a urbanização cresceu rapidamente em direcção às «PORTAS DE SANTA CATARINA» subindo até «SÃO ROQUE».
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «RUA DA BICA DE DUARTE BELO [II] - O BAIRRO DA BICA (2)»



10 comentários:

Anónimo disse...

Rua da Bica que conheço tão bem! que bom!
Ainda muito por aprender.

beijinhos amigos.

Andre Bravo Ferreira disse...

Apesar de já ter passado inumeras vezes há sempre uma coisa nova que descubro quando a percorro.

Grande abraço.

Mario Marzagao disse...

Ouvi falar que toda esta região resultava de um imenso e trágico deslizamento de terras. Se possível, gostava de saber algo mais a este respeito.
Muito obrigado !!
Parabéns pelo excelente trabalho, uma obra de referência para todos os amantes de Lisboa.

APS disse...

Ao Anónimo

Ainda bem que conhece a «BICA».
Digo-lhe que é um bairro muito pitoresco!

Saúde...
BJS
APS

APS disse...

Caro André Bravo Ferreira

Não é em vão que se diz.

"Quem procura sempre encontra".

Agradecido pela sua visita.
Volte sempre!

Um abraço
APS

APS disse...

Caro Mário Marzagão

Tem razão quanto ao deslizamento, mas para "falar" do «BAIRRO DA BICA», embora resumidamente, eu preenchi nove capítulos.
Terá que fazer o favor de aguardar para saber mais sobre a "BICA".

Bem-vindo a este blogue e obrigado pelas suas palavras.
Um abraço
APS

Patti disse...

Maravilhoso coração da nossa cidade. Vou estar muito atenta a esta 'estória' nos seus próximos posts.

APS disse...

Cara Patti

É realmente maravilhoso receber uma visita sua a este blogue.
Como a vizinha consegue gerir tão bem o seu tempo, sem descurar a sua bela escrita...

Um abraço
APS

Angelo disse...

Um detalhe a mais: A Rua da Bica aparece no filme "Lisbon Story", dirigido por Wim Wenders em 1994.

APS disse...

Caro Angelo
Muito obrigado pela sua dica. Fica aqui registado.
Podemos acrescentar ainda que na «TRAVESSA DO CABRAL» (Bairro da Bica), nos anos 50 do século passado, foram rodados os exteriores do filme «OS AMANTES DO TEJO» ou «LES AMANTS DU TAGE» tendo nos principais papeis a "nossa" AMÁLIA RODRIGUES e o francês DANIEL GÉLIN. É cantado nesse filme o tão célebre «BARCO NEGRO» com a tal música de «MÃE PRETA».
Este filme francês tem a particularidade de nos mostrar bons pormenores da cidade de LISBOA naquela época.
Um abraço
APS