quarta-feira, 28 de outubro de 2009

RUA DA BICA DE DUARTE BELO [II]

Rua da Bica de Duarte Belo - (2009) - Fotógrafo não identificado (Um troço da Rua da Bica de Duarte Belo) in MILA
Rua da Bica de Duarte Belo - (1968) - Foto de Armando Serôdio (Pátio do Broas - a Bica que deu nome à Calçada da Bica Grande) in AFML

Rua da Bica de Duarte Belo - (1945) - Foto de Fernando Martinez Pozal (Escadaria de acesso à Calçada da Bica Pequena) in AFML


Rua da Bica de Duarte Belo - (início do século XX) Foto de Joshua Benoliel - (Na altura que o ascensor estava parado) in AFML
(CONTINUAÇÃO)
RUA DA BICA DE DUARTE BELO [ II ]
«O BAIRRO DA BICA (2)»
Na sequência de um deslizamento de terras no ano de 1597, que destruiu uma primeira urbanização tendo feito desaparecer uma centena de casas, veio alterar profundamente o perfil do habitado monte, formando-se um vale onde se ergue o «BAIRRO DA BICA»(ver mais aqui), fica entre as actuais «RUA DAS CHAGAS» e «RUA MARECHAL SALDANHA».
A instabilidade da encosta foi-se prolongando, tendo-se registado em 13 de Fevereiro de 1621 novo desabamento de terras. A consolidação dá-se depois desta data com o reiniciar de novas construções.
Sabe-se que este Bairro foi pouco afectado pelo terramoto de 1755.
Com o aglomerado populacional da «BICA» a crescer muito irregular na encosta íngreme junto à ribeirinha «RUA DE SÃO PAULO», ganhando contornos mais racionais entre a «TRAVESSA DO CABRAL» e o «LARGO DO CALHARIZ», no topo da colina, onde se lotearam, em espinha, quarteirões regulares centrados pela «RUA DA BICA DE DUARTE BELO», no eixo do talvegue.
Quatro arruamentos rasgados perpendicularmente ligam as duas encostas, «SANTA CATARINA» e as «CHAGAS».
Era nessa altura, o Cabido da Sé que detinha o então senhorio directo dos terrenos.
A designação «BICA DO BELO» é conhecida pelo menos desde 1554, que veio a denominar o Bairro homónimo que hoje conhecemos.
«DUARTE BELO», um armador e negociante de Lisboa quinhentista que dispunha na «BOA VISTA» umas casas e um terreno no qual existia uma fonte (ou bica). Um tal «ANTÓNIO FERREIRA» terá adquirido por aforamento em 1707 o terreno, então público, onde se encontrava a bica. Querendo construir uma casa à face da actual «RUA DA BOAVISTA», foi obrigado a mudar a bica à sua custa ficando ele e seus herdeiros, responsáveis pela sua manutenção, conforme se pode ler na inscrição que a mesma ostenta. "He obrigado o dono desta propriedade a conservar esta Bica sempre corrente e à sua conta".
Da actual bica, obra de 1675, brotava uma água com qualidades medicinais, boa para curar males de olhos, daí se chamar «BICA DOS OLHOS».
Esta bica fica situada no seguimento da «RUA DE S. PAULO» para quem se dirige ao «CONDE BARÃO». Existia a «RUA DIREITA DA BOA VISTA DA BICA DOS OLHOS», hoje com o topónimo de «RUA DA BOAVISTA».
Infelizmente, a «BICA DOS OLHOS», hoje propriedade Municipal, encontra-se desactivada e abandonada. Estando prevista uma obra (2004) profunda no edifício que a engloba, seria a oportunidade ideal para a valorizar.
O troço inferior do arruamento a Sul da «RUA DA BICA DE DUARTE BELO» junto ao cruzamento com a «TRAVESSA DO CABRAL», recebeu a designação de «CALÇADA DA BICA PEQUENA».
Na «BICA GRANDE» existe ainda no interior do «PÁTIO DO BROAS», com entrada pelo número 2, a bica que veio dar o nome à Calçada em escadaria «CALÇADA DA BICA GRANDE». Por oposição, terá existido uma «BICA PEQUENA», que deu nome à artéria que lhe ficava próxima. Ambos os topónimos reflectem a abundância de água daquelas terras, que se traduziu na construção de bicas e chafarizes.
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) -«RUA DA BICA DE DUARTE BELO [III]-(O BAIRRO DA BICA (3)»



6 comentários:

José Quintela Soares disse...

Como sempre, excelente este trabalho sobre a Bica.
Que teve um "miúdo", chamado Fernando...

Abraço

Carlos Henriques disse...

olá boa tarde,

O meu Bairro, do qual vou fazer parte da Assembleia de Freguesia neste mandato,
Excelente trabalho, como sempre,

Um abraço,

Carlos

APS disse...

Caro José Quintela Soares

Obrigado pelas suas palavras de incentivo.
Apesar do «FERNANDO FARINHA» não ter nascido na BICA, merece bem o nome de "Miúdo da Bica", pelo grande amor ao fado e à sua assiduidade desde criança, nas casas de fados do «BAIRRO DA BICA».

Um abraço
APS

APS disse...

Caro Carlos Henriques

Obrigado pelas suas palavras.
Quero felicitá-lo por representar um bairro tão tradicional.
Desejo-lhe um bom desempenho, nas funções para que foi empossado.

Um abraço
APS

Luisa Moreira disse...

Caro, APS

Que belo trabalho, vou ler a continuação...

Abraço

Luisa

APS disse...

Cara Luísa Moreira

Muito agradecido pelas suas palavras... espero que goste!

Abraço
APS