sábado, 7 de novembro de 2009

RUA DA BICA DE DUARTE BELO [ V ]

Rua da Bica de Duarte Belo - (2007) Fotógrafo não identificado (A Rua da Bica de Duarte Belo) in PANORAMIO
Rua da Bica de Duarte Belo - (2009) Foto de Curly z (A Rua da Bica de Duarte Belo) in A MINHA BICA

Rua da Bica de Duarte Belo - (2009) Fotógrafo não identificado ( Rua da Bica de Duarte Belo in MILA
(CONTINUAÇÃO)
RUA DA BICA DE DUARTE BELO [ V ]
«A RUA DA BICA DE DUARTE BELO»
O traçado actual da «BICA» e a sua envolvente, de malha ortogonal hoje classificada de pré-pombalina, com a sua articulação entre ruas, escadas e travessas, apesar do acentuado declive do solo, é, como se vê, bastante anterior ao terramoto de 1755.
De um modo geral, o sistema de arruamentos que ali hoje podemos observar, tem por conseguinte, cerca de quatro séculos de existência e terá sido contemporâneo da edificação do «BAIRRO ALTO».
A «RUA DA BICA DE DUARTE BELO» é quase integralmente ocupada pelo elevador (inaugurado em 29 de Junho de 1892), aquando da sua passagem. Cruza a «BICA» de alto a baixo, como se de uma coluna vertebral se tratasse. Ao passar na «CALÇADA DA BICA PEQUENA» e nos laterais finais o «LARGO DE SANTO ANTONINHO» e a «TRAVESSA DA BICA GRANDE», indo terminar por debaixo do prédio onde finaliza ou começa o elevador, referenciado com o número 242 da «RUA DE SÃO PAULO».
De facto, a «RUA DA BICA DE DUARTE BELO» é a rua do elevador e, para muitos ela é mesmo considerada como o centro do «BAIRRO DA BICA».
Os pequenos comércios do bairro encontram-se quase todos nesta rua. Algumas "Tascas", frequentadas sobretudo por residentes locais, algumas lojas antigas, como a «CASA DOS BOTÕES», um Cabeleireiro, pequeníssimas mercearias, alguns artífices em pequenas oficinas.
Uma Colectividade o «VAI-TU», já perto da última Travessa que cruza a linha do elevador a «TRAVESSA DO CABRAL».
Diz-nos ainda o Mestre «NORBERTO DE ARAÚJO» nas suas «PEREGRINAÇÕES EM LISBOA» (...)"este «CABRAL», que deu nome à «TRAVESSA», foi o bacharel «MANUEL RODRIGUES CABRAL», que nasceu no final do século XVI e morreu em 1632; a «TRAVESSA» na direcção nascente poente, liga as «CHAGAS» a «SANTA CATARINA», pela «RUA DO ALMADA». Ainda mais uma nota, no número 35 no prédio da esquina nascente da «RUA DA BICA DE DUARTE BELO», e esse curioso pórtico nobre, que faz hoje a porta de um barbeiro; nenhum de nós pode afirmar, mas podemos admitir, que foi aqui o solar do «RODRIGUES CABRAL».
O Topónimo de «BUARTE BELO» é dado a um certo armador e negociante da LISBOA QUINHENTISTA, e que possuía na «BOAVISTA» umas casas e um terreno no qual existia uma bica, designada pelos seus utentes como «BICA DOS OLHOS».
Como curiosidade, "em 1726, publicava-se em Lisboa no «ARQUIPÉGIO MEDICINAL» que recomendava, como remédio infalível para terçolhos e outros males da vista, a lavagem dos olhos na «BICA DO DUARTE BELO». Devia ser antes do Sol nascer, para garantir a cura".
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) «RUA DA BICA DE DUARTE BELO [VI] - O ELEVADOR DA BICA»



4 comentários:

Luisa Moreira disse...

APS,

Conheço a "Casa dos Botões", é única!

Abraço
Luisa

APS disse...

Cara Luísa Moreira

Quando eu descia a «RUA DA BICA DE DUARTE BELO» nos meus tempos de rapaz, ainda não existia a "CASA DOS BOTÕES".
Que pena!

Abraço
APS

Marcia Faria disse...

Gosto muito da primeira foto desta postagem.
Se não estou enganada, consegue-se ver parte do Tejo.

Um bom domingo,abraço!!!

APS disse...

Cara Marcia Faria

Não está enganada... trata-se mesmo do Rio TEJO.
É uma foto muito bem conseguida.

Um bom Domingo para si também...
Abraço
APS