terça-feira, 2 de março de 2010

RUA DE XABREGAS [ VI ]

Rua de Xabregas - (1989) - Foto de APS (Fachada do antigo Convento de S. Francisco obra pombalina, reconstruída em 1766) ARQUIVO/APS
Rua de Xabregas - (1989) - Foto de APS (Convento de S. Francisco de Xabregas, depois Fábrica de Tabaco actual Mediateca de Formação Profissional na Rua de Xabregas) ARQUIVO/APS

Rua de Xabregas - (ant. 1895) - Foto de Francesco Rocchini (Convento de S. Francisco em Xabregas) in AFML


Rua de Xabregas - (Século XIX) - (Desenho - Estúdio Mário Novais) (Fábrica de Tabaco em Xabregas no antigo Convento de S. Francisco de Xabregas) in AFML



Rua de Xabregas - (Gravura de B. Lima Coelho) (Fábrica do Tabaco de Xabregas no antigo Convento de Santa Maria de Jesus em Xabregas) (Publicado em 1864 no Archivo Pittoresco, Volume VII, página 205) in A FREGUESIA DO BEATO NA HISTÓRIA - JUNTA DE FREGUESIA DO BEATO.
--//--
(CONTINUAÇÃO)
RUA DE XABREGAS [ VI ]
«CONVENTO DE S. FRANCISCO DE XABREGAS ( 1 )»
No local do futuro «CONVENTO DE SANTA MARIA DE JESUS», junto ao Tejo em Xabregas, foi construída uma residência campestre onde «D. AFONSO III» e os monarcas que lhe seguiram passavam largas temporadas.
No século XIV era um lugar recatado cheio de beleza, não existiam edifícios nas proximidades que lhe roubassem as vistas, estava no extremo do vale, recostado numa colina levemente elevada, que o abrigava do vento Norte. Na parte da frente existia um extenso areal, onde as ondas do Tejo se espraiavam à vontade.
Aquando do «CERCO DE LISBOA» em 1373 os «CASTELHANOS» na impossibilidade de entrarem na cidade, vingaram-se incendiando grande número de propriedades dos arredores. O «PAÇO REAL DE XABREGAS» foi uma das mais atingidas, isto já no reinado de «D. FERNANDO».
Em 17 de Outubro de 1455, «D. AFONSO V», por alvará passado na «VILA DE SANTARÉM», doou as ruínas do antigo «PAÇO REAL» a «D. GUIOMAR DE CASTRO», mulher do primeiro «CONDE DE ATOUGUIA». No mesmo ano eram iniciadas as obras para a construção de um Convento, dedicado a «SANTA MARIA DE JESUS».
Concluído no ano de 1460, tomaram posse do «CONVENTO DE SANTA MARIA DE JESUS DE XABREGAS», os frades da Ordem de «SÃO FRANCISCO», vindos da «ILHA TERCEIRA» e desde então esta casa religiosa passou a ser conhecida por «CONVENTO DE SÃO FRANCISCO» ou «CONVENTO DE XABREGAS».
Dizia-nos CRISTÓVÃO RODRIGUES DE OLIVEIRA no seu «SUMÁRIO DE 1551» que: (...) "O Mosteiro de São Francisco de Enxobregas está fora dos muros (ou parte) a um terço de légua. É de frades menores de observância. Há nele cinquenta frades. Tem algumas Capelas, primeiramente uma de invocação dos Reis, sepulturas de muitas pessoas nobres, na qual os padres tem algumas obrigações de missar".
Em 1652 são realizadas obras na Igreja e claustro, conforme projecto de «JOÃO NUNES TINOCO».
Com o terramoto de 1 de Dezembro de 1755, o Convento ficou totalmente destruído, sendo os frades obrigados a viverem largos anos na cerca, em barracas de madeira. Mais tarde as paredes em ruínas acabaram por ser demolidas por questões de segurança.
No ano de 1757 a parte da Igreja (improvisada) do Convento funcionava no antigo celeiro, dentro dos limites da cerca conventual.
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «RUA DE XABREGAS [VII]-CONVENTO DE SÃO FRANCISCO DE XABREGAS (2)»



7 comentários:

Ricardo Moreira disse...

É uma pena que em toda a zona oriental e de tantos palácios e conventos que lá houve apenas se tivesse dado valor ao convento da Madre de Deus. Se não tivesse sido assim aquela zona seria hoje bem mais rica (talvez mais do que a zona de Belém).

APS disse...

Tenho a mesma opinião.
Mas certamente quem conhecer um pouco de história, se lembrará do Palácio dos Marqueses de Nisa, do Palácio Olhão (e dos conjurados), o Convento dos Grilos e das Grilas, o Palácio do Duque de Lafões o Convento do Beato, sem esquecer as casas Nobres que existiram em toda a zona Oriental de Lisboa. E embora um pouco para Norte de Xabregas, temos o Convento de Chelas talvez o mais antigo.
Uma zona cheia de história hoje um pouco esquecida. Por isso sempre que posso, vou relembrando o património histórico do nosso sítio e da nossa Lisboa.

Um abraço
APS

Marcia Faria disse...

Passei para mais uma lição de história dessa terra amada e deixar um abraço.

Bom fim de semana!!!

APS disse...

Cara Marcia Faria

Terei muito gosto em ser o portador do seu abraço à nossa bem amada cidade de Lisboa, Capital de Portugal

Um bom fim de semana!
APS

PS-Tem recebido os meus "emails"?

Marcia Faria disse...

O abraço foi para o amigo Agostinho desejando-lhe um ótimo fim de semana.

De Lisboa guardo muitas saudades de dias que não voltam mais.

Luisa Moreira disse...

Caro APS,

Gostei muito de mais um passeio a pé, por estes lados de Lisboa.

Abraço
Luisa

APS disse...

Cara Luísa Moreira

Se fosse no século XIX, para além do passeio a pé, podia-se merendar nas "hortas de Chelas", lá dizia «ALMEIDA GARRETT» nas suas «VIAGENS NA MINHA TERRA».

Abraço
APS