quarta-feira, 11 de agosto de 2010

AVENIDA 24 DE JULHO [ XI ]

Avenida 24 de Julho - (1833) (Honoré Daunier) (Caricatura representando D.PEDRO IV e D. MIGUEL a brigar pela Coroa Portuguesa - joguetes das potencias da época) in WIKIPÉDIA
Avenida 24 de Julho - (1830) - (Pintura de Simplício Rodrigues de Sá) (Museu Imperial de PETRÓPOLIS)(D. Pedro I do Brasil e IV de Portugal) in PEREGRINA CULTURAL

Avenida 24 de Julho - (1828?) (D. Miguel ano da sua aclamação como "REI ABSOLUTO") in TEMPO QUE PASSA


Avenida 24 de Julho - (2008) Foto de APS - (DUQUE DA TERCEIRA na Praça com o mesmo nome junto da Avenida 24 de Julho) in ARQUIVO/APS

Avenida 24 de Julho - (2009) Fotógrafo não identificado (Ortofoto da zona da Avenida 24 de Julho) in SKYSCRAPERCITY
.
(CONTINUAÇÃO)
.
AVENIDA 24 DE JULHO [ XI ]
.
«AS LUTAS LIBERAIS»
.
Este topónimo da «AVENIDA 24 DE JULHO» está relacionado com um episódio importante na história portuguesa. A luta pelo Liberalismo entre «D. PEDRO IV» e seu irmão «D. MIGUEL», um dos momentos mais dramáticos da nossa história (a Guerra Civil de 1828 a 1834), que opôs as tropas Absolutistas de «D. MIGUEL» contra as forças Liberais de seu irmão «D. PEDRO IV».
Em «24 DE JULHO DE 1833» as tropas Liberais de «D. PEDRO IV» comandadas pelo «DUQUE DA TERCEIRA»(ver mais aqui) (António José Sousa Manuel de Menezes Severim de Noronha), entraram vitoriosamente em LISBOA, tendo desembarcado no ALGARVE e atravessado o ALENTEJO sem dispararem um tiro.
As tropas de «D. MIGUEL» tinham abandonado a cidade de madrugada. Assim, a Capital do país é libertada das tropas absolutistas, antecipando o que iria acontecer no ano seguinte (1834), a vitória definitiva do Liberalismo em Portugal e o exílio de «D. MIGUEL».
Recuemos um pouco a outros acontecimento relevantes.
Com a morte de seu pai «D. JOÃO VI» rei de Portugal em (1826), existiu a ideia da reunificação das duas coroas, PORTUGAL e BRASIL. Tendo sido «D. PEDRO» deserdado, houve necessidade de a regente infanta «D. ISABEL MARIA» nomeá-lo IMPERADOR DO BRASIL como seu sucessor.
Neste mesmo ano de 1826, «D. PEDRO» tornava-se também, rei de Portugal com o título de «D. PEDRO IV» (ver mais aqui). Como a Constituição Brasileira de (1824) não lhe autorizava que governasse dois países, abdicou um mês depois da coroa portuguesa em favor de sua filha menor «D. MARIA DA GLÓRIA» que futuramente seria a rainha «D. MARIA II» de Portugal. No tempo da sua menor idade seu tio «D. MIGUEL» foi nomeado regente do trono de Portugal, tendo sido acordado que o casamento entre «D. MIGUEL» e a sobrinha, deveria ser realizado.
Mas no ano de 1828 as «CORTES PORTUGUESAS» aclamaram «D. MIGUEL», como REI DE PORTUGAL. Desrespeitado o compromisso assumido, fez-se aclamar «REI ABSOLUTO».
Em 1831 «D. PEDRO» decide regressar a Portugal, para ajudar a sua filha e o trono de Portugal, abdicando da coroa no Brasil e junta-se aos Liberais nos Açores. Inicia-se, assim um período de «GUERRA CIVIL», entre «LIBERAIS e ABSOLUTISTAS», que vai durar cerca de dois anos.(FINAL)

BIBLIOGRAFIA
ARAÚJO, Norberto de - 1993 - 2ª edição - Peregrinações em Lisboa Livro XIII - LISBOA VEGA.
LISBOA RIBEIRINHA - 1994 - Arquivo Municipal - Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa - Expo´94 - Lisboa94 - Livros Horizonte.
MATTOSO, José - 1993 - História de Portugal - Círculo dos Leitores Volume V - Lisboa
SANTANA, Francisco e SUCENA, Eduardo - 1994 Dicionário da História de Lisboa.
ZUQUETE, Afonso Eduardo Martins - 1961 - Nobreza de Portugal e do Brasil- Volume III - Representações Zairol - Lisboa.
BLOGUES E SITES
.
(PRÓXIMO) - «RUA DAS FLORES [ I ] - A RUA DAS FLORES(1)»

3 comentários:

José Luís Espada Feio disse...

Uma avenida que carrega uma data cheia de história. O meu contributo sobre o mesmo tema em:

http://josespadafeio.blogspot.com/2010/07/do-vinte-e-quatro-de-julho.html#links

APS disse...

Caro José Luís Espada Feio

Bem-vindo a este blogue!

Realmente o 24 de Julho é uma data notável, para a história de Portugal.

Dei uma "espreitadela" ao seu blogue e achei-o magnifico, tanto na sua arquitectura como na maneira de apresentar as fotos com uma "objectiva" circular.

Fico muito agradecido por ter incluído este blogue no seu "ESPELHO OLISSIPONENSE".

Tenho muitas recordações de Sesimbra.
Desde longos anos que visito essa bela localidade.
Ainda em 2007 festejei os meus 50 anos de casado no "Sesimbra Hotel & SPA" frente à antiga "praia dos pescadores".
Tinha um cliente «A COLCHOARIA ROSA» na Rua Rainha D. Leonor, que nos anos 80 e 90 visitava semanalmente.
Foi lugar de preferência da família para férias, durante alguns anos.
Belos tempos!

Um abraço
APS

José Luís Espada Feio disse...

meu caro APS

os meus agradecimentos pelas suas generosas e motivantes palavras. Não tem de agradecer pelo facto do seu blogue estar citado no meu, não podia ser de outra forma. Tenho muito interesse pelos estudos olissiponenses e considero que o seu espaço é o melhor de entre todos os que se dedicam especificamente a esta temática, pelo que sou visitante diário, sempre com a maior expectativa.
um abraço