sábado, 3 de março de 2012

RUA AUGUSTA [ XVII ]

Rua Augusta - (2011) - (Instalações do "BES" na "RUA AUGUSTA" esquina com a "RUA DO COMÉRCIO", primitiva "Casa Bancária" da segunda década do século XX) in GOOGLE EARTH
Rua Augusta - (2011) - (Vista Panorâmica da Sede Social do "BES" na "AVENIDA DA LIBERDADE, 195) in GOOGLE EARTH
Rua Augusta - (200_?) - (Logótipo do "BANCO ESPÍRITO SANTO" e "slogan" "Quem sabe, sabe e o "BES" sabe!" in WIKIPÉDIA

(CONTINUAÇÃO) - RUA AUGUSTA [ XVII ]

«O BANCO ESPÍRITO SANTO ( 2 )»

A ascensão de «JOSÉ MARIA DO ESPÍRITO SANTO E SILVA» foi rápida. Talvez porque a natural aptidão para os negócios, a par da seriedade e rigor que punha em todos os seus actos, lhe tenha granjeado o respeito e a confiança dos que com ele se envolviam, condições que favoreceram o alargamento da sua rede de clientes.
É de salientar que, por diversas vezes se recusou a participar em negócios sugeridos que lhe pareciam menos correctos. Na recusa de uma dessas propostas diz expressamente que: "não queria (...) servir de instrumento de ninguém para o mal (...)".
O negócio florescia, a posição era sólida, bem gerida e rentável, tinha crédito e nome. Estavam criadas as condições para que «ESPÍRITO SANTO» desse mais um importante passo.

Em 23 de Fevereiro de 1884 constitui uma sociedade em comandita ( 1 ) sob a firma «BEIRÃO, SILVA PINTO & Cª., Lda.», com o capital social de 150:000$000. O objectivo da sociedade era o da «compra e venda por conta própria ou alheia de papéis de crédito, fundos públicos nacionais e estrangeiros, operações bancárias e em geral todas as transacções comerciais próprias da natureza deste estabelecimento» ( 2 ).
Tendo até à altura trabalhado apenas como empresário individual, surge, pela primeira vez, associado a outras pessoas numa empresa financeira.
A loja abriu no mesmo local, ou seja na «RUA AUGUSTA», número 11 e 15 e «RUA NOVA D'EL-REI», número 95, em 15 de Março. «JOSÉ MARIA DO ESPÍRITO SANTO E SILVA» detém, no capital da firma, 100 contos de réis e «JOÃO DE OLIVEIRA CASQUILHO», o outro parceiro do negócio, 50 contos de réis. Estes eram os sócios capitalistas. Como sócios que não realizaram qualquer entrada de capital, participam «ANTÓNIO PEREIRA DOS SANTOS BEIRÃO» e «JOSÉ NORBERTO DA SILVA PINTO». Este era seu antigo empregado da loja na «CALÇADA DO COMBRO», para além de secretário particular de «ESPÍRITO SANTO E SILVA».
A loja de que «JOSÉ MARIA DO ESPÍRITO SANTO E SILVA» era proprietário na «RUA AUGUSTA» esquina para a «RUA DOS CAPELISTAS» foi por ele cedida à sociedade, recebendo por conta dessa cedência o direito a 15% dos lucros. Dois terços dos lucros remanescentes seriam divididos em três partes iguais, cabendo duas delas a «JMESS» e a outra ao sócio «JOÃO CASQUILHO».
Assim, o sócio principal da firma «BEIRÃO, SILVA PINTO & Cª. Lda.», terá ficado disponível para se dedicar a outros empreendimentos.
Em Março de 1889 «José Maria do Espírito Santo» entendeu, sair da sociedade que havia constituído cinco anos antes, a qual, por essa razão, foi dissolvida.

- ( 1 ) - (do Francês Commandite) - Forma de sociedade comercial, em que há um ou mais associados, de responsabilidade solidária, e um ou mais sócios capitalistas, de responsabilidade que não excede o capital subscrito.
- ( 2 ) - Registos notariais de 23 de Fevereiro de 1884.

(CONTINUA) - (PRÓXIMO) -«RUA AUGUSTA [ XVIII ] -O BANCO ESPÍRITO SANTO (3)»

Sem comentários: