sábado, 31 de março de 2012

RUA VÍTOR CORDON [ II ]

Rua Vítor Cordon - (27.05.2006) Foto de Brian Mc Morrow ("Rua Vítor Cordon" a "JUNTA DE FREGUESIA DOS MÁRTIRES" antes das obras) in DN. LISBOA
Rua Vítor Cordon - (2005) - Foto de autor não identificado (A "Junta de Freguesia dos Mártires" na "RUA VÍTOR CORDON" com esquina para a "Rua Serpa Pinto" antes das obras) in LISBOA.com
Rua Vítor Cordon - (2010) Foto de Ernst Kers ( A "Junta de Freguesia dos Mártires" depois das obras realizadas no edifício) in FLICKR
Rua Vítor Cordon - (c. 1953) Foto de Judah Benoliel (Obras na "Rua Vítor Cordon" nos anos 50 do século passado) in AFML
Rua Vítor Cordon - (1856-1858) (Carta Topográfica Nº 51 - Área da Ribeira e Mártires - publicado no "Atlas da Carta Topográfica de Lisboa", sob a direcção de Filipe Folque: 1856-1858) in CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA
Rua Vítor Cordon - (1593) Gravura de Jorge Braunius (Vista parcial da gravura referente a LISBOA com o título "Olissipo" inserida na obra de J.B. - CIVITATES ORBIS TERRARUM, Vol. II) (Nesta foto pode ver-se claramente a ravina do "Monte Fragoso") in LISBOA QUINHENTISTA

(CONTINUAÇÃO) - RUA VÍTOR CORDON [ II ]

«A FREGUESIA DOS MÁRTIRES ( 1 )»

A «FREGUESIA DE NOSSA SENHORA DOS MÁRTIRES» ou «SANTA MARIA DOS MÁRTIRES» ou na voz do povo "AS MARTES" ou "MARTENS", é a segunda freguesia a ser construída em LISBOA, considerada a sua jurisdição «EXTRA-MUROS DA CERCA MOURA».
Quem nos conta é «FREI APOLINÁRIO DA CONCEIÇÃO» ( 1 ) que nos transmitiu o que sobre ela conseguiu apurar até ao seu tempo.
A Igreja foi edificada após a conquista de LISBOA, sendo lançada a primeira pedra no dia 21 de Novembro de 1147. Nesse mesmo dia era também fundada a «IGREJA DE S. VICENTE», no sítio onde existia o cemitério dos CRUZADOS INGLESES que ajudaram «D. AFONSO HENRIQUES» no cerco à Cidade.
Ficava esta Igreja aproximadamente no local do prédio na «RUA VÍTOR CORDON» esquina para o «LARGO DA BIBLIOTECA PÚBLICA», (hoje "LARGO DA ACADEMIA NACIONAL DE BELAS ARTES») no topo da «CALÇADA DE SÃO FRANCISCO».
No documento das «INQUIRIÇÕES» do reinado de «D. AFONSO III» chamavam-lhe «SANTA MARIA DOS MÁRTIRES» ( ECCLESIA SANCTE MARIE MARTYRUM), mas considera-a Igreja dos arrabaldes da cidade. Na linguagem popular antiga, em documentos oficiais, e mesmo em livros impressos, a denominação era muitas vezes corrompida em MARTES e MARTENS.
Consta que a sua extensão como freguesia se estendia desde a «» e «SANTA JUSTA», toda a zona Ocidental da cidade e por uma zona ribeirinha até OEIRAS; mas em 2 de Agosto de 1476 foi muito reduzida, abrangendo somente o território desde a Igreja Matriz, até ao local das portas de «SANTO ANTÃO», até à RIBEIRA e ponde de ALCÂNTARA.
Em 1551 já a sua circunscrição estava mais reduzida. Foram-se desmembrando dela freguesias, do lado ocidental até à ponte de Alcântara, algumas com territórios destacados de outras paróquias.
Até ao ano de 1750 foram as seguintes: N.SRª.DO LORETO(ENCARNAÇÃO)-1551; SANTA CATARINA-1559; SANTOS MARTIRES, VERISSIMO MÁXIMA E JÚLIA(SANTOS-O-VELHO)-1566; S. PAULO-1566; Nª. Srª. DAS MERCÊS (Separada por sua vez de Santa Catarina com território também na freguesia do LORETO-1632. (Além de mais duas que se criaram na área da freguesia; CHAGAS DE JESUS CRISTO (dos homens do Mar)-1542 e NOSSA SENHORA DO LORETO (dos Italianos)-2.2.1551.
Posteriormente a 1741 desmembraram-se desta freguesia tratos de território com que se formaram novas freguesias completas ou contribuíram com outras extraídas de freguesias limítrofes, para a constituição de distritos de novas paróquias. (Stª. ISABEL-1741); (S.PEDRO DE ALCÂNTARA-1770); (Nª.Srª. DA LAPA-1770) e (SANTO CONDESTÁVEL-1934).
A «Igreja dos Mártires» foi reconstruída, no todo ou em parte, por várias vezes: em 1598, em 1629,1710 e 1750.

( 1 ) - Demonstração Histórica da Primeira e Real Paróquia de Lisboa... N.S. dos MÁRTYRES-Lisboa - 1750

(CONTINUA) - (PRÓXIMO) -«RUA VÍTOR CORDON [ III ] -A FREGUESIA DOS MÁRTIRES (2)»


2 comentários:

Anónimo disse...

encontrei esta possível explicação para o nome de Loreto para a Igreja dos Italianos e a restante toponímia:
Santuário de Loreto acolhe a Casa de Nazaré

Na pequena cidade italiana de Loreto, nas margens do Adriático, a 200 quilómetros de Roma, fica situado um dos mais famosos santuários, o Santuário de Nossa Senhora do Loreto. A sua construção, iniciada em 1468, abriga, sob uma grande cúpula, o que a tradição afirma ser a Casa da Sagrada Família de Nazaré, ali reconstruída e depois, em 1531, revestida de mármore. A Santa Casa de Loreto foi o primeiro santuário internacional dedicado à Santíssima Virgem, tendo sido, durante muitos séculos, o verdadeiro centro mariano da cristandade.

Bento XV, no ‘Tratado de canonização dos Santos’, mesmo tendo declarado que não se trata de um dogma de fé, aceita a realidade da translação da residência da Virgem: "Todos os monumentos fornecem as provas: a tradição constante, os testemunhos dos pontífices romanos, assim como os milagres que não cessam de acontecer, confirmam o facto". Sixto V, ao terminar a fachada da Basílica, mandou gravar em letras de ouro: "Casa da Mãe de Deus onde o Verbo se fez Carne".

A habitação de Maria compreendia uma gruta cavada na rocha. Diante da abertura da gruta, havia um espaço rodeado por três paredes. Estas três paredes são as que constituem a Santa Casa e se tornaram objecto de veneração em Loreto.
(www.vozdaverdade.org)

APS disse...

Caro Anónimo

Peço desculpa de só agora responder. Agradeço a sua informação, bastante elucidativa e bem fundamentada do topónimo "LORETO" que certamente vem do italiano, nomeadamente o SANTUÁRIO DE LORETO.

A actual "IGREJA DE NOSSA SENHORA DO LORETO" «dos italianos» no "LARGO DO CHIADO, 16", segundo alguns elementos que consultei, tem uma longa história.
IGREJA DO LORETO-Séc. XV - Uma Ermida de SANTO ANTÓNIO, ampliada em 1573 e destruída por um incêndio, em 1651. Reedificada e ampliada em 1676, arruinada depois pelo Terramoto de 1755 e novamente restaurada em 1785.

Neste local existia uma ermida de SANTO ANTÓNIO, em pleno ermo no fim do século XV. Em 1518 os italianos residentes em LISBOA escolheram-na para sua paróquia, trocando o orago português pelo da VIRGEM OU NOSSA SENHORA DO LORETO e, em 1573, ampliaram o templo, aliás já beneficiado, logrando para o prolongamento demolir uma Torre de Muralha Fernandina que lhe ficava contígua pelo Norte.

Em 1651, um grande incêndio destruiu a IGREJA dos ITALIANOS, mas a colónia conseguiu a reedificação, e até ampliação em 1676, sendo inaugurada a 7 de Setembro. Tinha uma única nave, dose capelas além da principal, e ostentava em mármore de Itália estátuas dos evangelistas S. Lucas e S. Marcos, além das dos doze apóstolos.

Em 1755 o Terramoto arruinou-a bastante, seguida de incêndio. Foi restaurada em 1785, pelo Arquitecto JOSÉ DA COSTA E SILVA, que foi quem deu o risco para o "TEATRO DE S. CARLOS". Tinha então um amplo ADRO que circundava o templo pelo lado da "RUA LARGA DE S. ROQUE" (hoje RUA DA MISERICÓRDIA" e que foi reduzido em 1860.

Nossa Senhora do Loreto, que há muito deixou de ser Paróquia (1679), tem alguma coisa que ver, em arte. O tecto representando a "VIRGEM DO LORETO", entre nuvens, atribuído a PEDRO ALEXANDRINO, mas outros o dizem de FELICIANO NARCISO ou de INÁCIO DE OLIVEIRA; tanto importa, porque não é famoso. No interior da IGREJA, de uma só nave, há boa pintura, podendo citar-se uma «DESCIDA DO ESPÍRITO SANTO» de MANUEL TAGLIAFICO, «N.S. DO CARMO», de ROSSI, «SANTA CATARINA», de RATTI, «S.FRANCISCO DE PAULA» de JOAQUIM MANUEL ROCHA, «S.CARLOS BORROMEU», da escola de BATTONI, doze imagens a claro-escuro representando os Apóstolos de CÍRILO VOLMAR MACHADO, e ainda outros quadros. O tecto da sacristia é de ANTÓNIO SAPEIRO.

Como se pode observar uma IGREJA de pouco no feitio dos templos portugueses, mas nem por isso menos agradável, a IGREJA DO LORETO não deixa transparecer no interior idade antiga os incêndios de 1651 e 1755 que quase tudo consumiram o que restava do século XVI.
Esta IGREJA DO LORETO, dos ITALIANOS, uma das eleitas pela sociedade (em determinada época) escolhida de LISBOA para as suas devoções "Domingueiras". «IR À MISSA DO LORETO» - dá um certo tom e constituía também uma nota de elegância espiritual.[FONTE: PEREGRINAÇÕES EM LISBOA de NORBERTO DE ARAÚJO Tomo V- Pág 15-17].

Poderá ainda ver "RUA DO LORETO [ I ] de 28 de Novembro de 2012 algumas citações a esta Rua no LINK: http://aps-ruasdelisboacomhistria.blogspot.pt/search?q=Rua+do+Loreto+%5B+I+%5D

Despeço-me com amizade, renovando os meus agradecimentos,
Cumprimentos
APS-Agostinho Paiva Sobreira