quarta-feira, 10 de outubro de 2012

PRAÇA DO CHILE [ XIII ]

 Praça do Chile - (1938) - Desenho de Martins Barata  (Fachada do antigo "Convento de Nª. Sª. da Conceição de Arroios" depois "Hospital de Arroios" na antiga "Estrada de Sacavém", depois "Rua Alves Torgo" e em 1956 "Rua Quirino da Fonseca") in  PEREGRINAÇÕES EM LISBOA 
 Praça do Chile - (Início do século XX) Foto de Eduardo Portugal ("Igreja do Convento de Nª. Senhora de Conceição de Arroios", mais tarde o "Hospital de Arroios" na antiga "Estrada de Sacavém") in AFML 
 Praça do Chile - (1984) Foto de F. Gonçalves (Porta brasonada - Pedra de Armas do antigo "Convento de Nª. Senhora da Conceição de Arroios", virada para actual "Rua Quirino da Fonseca") in AFML
Praça do Chile - (2000) - ((Antigo "Colégio do Noviciado da Companhia de Jesus" depois "Convento Nª. Sª. da Conceição de Arroios", mais tarde "Hospital de Arroios" na actual "Rua Quirino da Fonseca") in SKYSCRAPERCITY

(CONTINUAÇÃO) - (PRAÇA DO CHILE [ XIII ]

«CONVENTO DAS FREIRAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO»

Com a expulsão dos "Jesuítas" de Portugal pelo "MARQUÊS DE POMBAL" e encontrando-se devoluto um espaço em «ARROIOS», oito anos mais tarde a (10 de Julho de 1766) passariam para esta casa as recolectas seráficas da Conceição que ocupavam anteriormente o "MOSTEIRO DA LUZ".
Tendo acontecido que o "CONVENTO DA IMACULADA CONCEIÇÃO DAS FREIRAS CONCEICIONISTAS FRANCISCANAS" em «CARNIDE» ficado completamente destruído pelo sismo, o "MARQUÊS DE POMBAL" decidiu que as freiras sobreviventes, se instalassem com os seus haveres no antigo "Noviciado" que passou então a chamar-se «CONVENTO DAS FREIRAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO».
Sabe-se que as "FREIRAS CONCEICIONISTAS" desenvolveram uma destacada obra assistencial junto da população dos bairros próximos do Convento.
Mas a sua acção humanitária revelou-se sobretudo durante a primeira «INVASÃO FRANCESA» (1807), quando uma multidão de desalojados, sem meios de subsistência, fugiu ao exército de "JUNOT" e se concentrou na capital para obter protecção.
As freiras organizaram uma distribuição de sopa duas vezes por dia para socorrer os pobres "refugiados". Tal facto ficou assinalado e muito conhecido pelo nome de «SOPA DE ARROIOS».
Ainda no ano de 1833, motivado pela «GUERRA CIVIL EM PORTUGAL» (1832-1834), estas religiosas foram transferidas de «ARROIOS» para o «MOSTEIRO DE SANTOS-O-NOVO»(a XABREGAS), e neste Convento se instalaram as tropas constitucionais das linhas de defesa de LISBOA. Só no ano seguinte, voltariam a ocupar o seu espaço no «CONVENTO DAS FREIRAS DA IMACULADA CONCEIÇÃO».
Com o fim da «GUERRA CIVIL» e a vitória dos LIBERAIS em 1834, o "CONVENTO" passou para a posse do ESTADO. Contudo, ficou acordado que a transferência da propriedade só se concretizaria depois do falecimento da última freira.
Com o desaparecimento da última freira no ano de 1890, o edifício foi anexado pelo «HOSPITAL REAL DE S.JOSÉ» em 1892, passando o "CONVENTO" a servir de Hospital de doenças infecciosas, dando-lhe mais tarde o nome de «HOSPITAL RAINHA D. AMÉLIA» (1898), que com o advento da «REPÚBLICA» passou a chamar-se «HOSPITAL DE ARROIOS».
A Igreja foi encerrada ao culto em 1910 e dois anos depois despojada de quadros, objectos e alfaias que ainda guardava, tendo sido distribuído por várias Igrejas do país.

(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «PRAÇA DO CHILE [ XIV ]-IGREJA PAROQUIAL DE S. JORGE DE ARROIOS»

Enviar um comentário