sábado, 8 de dezembro de 2012

RUA DO LORETO [ IV ]

 Rua do Loreto - (2008) Foto de Barragon - (Um troço da "Rua do Loreto" próximo do edifício do Cinema) in PANORAMIO
 Rua do Loreto - (2012) - (O "Cine Paraíso" de portas abertas na "Rua do Loreto" Nºs. 15 e 17. Nesta altura já tinha acabado a tabacaria que existia no nº 17, mas a "Sapataria Diplomata" continua persistente) in GOOGLE EARTH
 Rua do Loreto - (2008) - Foto de Barragon (O edifício do Cinema, na "Rua do Loreto") in PANORAMIO
 Rua do Loreto - (1977) Foto de Vasques (O "Cinema Salão Ideal" na "Rua do Loreto" no primeiro andar a "Remington" uma grande marca de máquinas de escrever da época) in AFML
 Rua do Loreto - (início do sec. XX) Foto de Alberto Costa Lima (A Alfaiataria "A Couto" no 1º andar da "Rua do Loreto" e esquina para a "Rua da Emenda") in AFML
Rua do Loreto - (1909) - (Um recorte de jornal  anunciando que o "Salão Ideal" na "Rua do Loreto" apresenta os mais lindos e originais espectáculos de Lisboa) in RESTOS DE COLECCÃO


(CONTINUAÇÃO) - RUA DO LORETO [ IV ]

«O CENTENÁRIO CINEMA DO LORETO ( 3 )»

Ainda do «SALÃO IDEAL». Passou o tempo, a descoberta de "JÚLIO COSTA" foi adoptada por outras salas na baixa. A frequência do "SALÃO IDEAL" foi mudando e em breve era constituída essencialmente por ardinas que se deslocavam ao vizinho "BAIRRO ALTO" em busca dos jornais e, ou enquanto esperavam ou no fim da faina, passavam o tempo a ver fitas.
O velho "Salão Ideal" não era já uma sala elegante e em breve passava a realizar sessões contínuas, do princípio da tarde à meia-noite. Os preços eram acessíveis, mas, mesmo assim, para cativar a juventude, foi instituído o sistema de se poder arranchar - isto é: poderem entrar dois espectadores jovens com um único bilhete.
Cada um que chegava, escolhia ou arranjava parceiro: "arranchava".
Foi o tempo em que à semelhança do que acontecia com salas congéneres, a arraia miúda lisboeta começou a conhecer o cinema por "piolho do Loreto" .
Ainda conservava porém, a configuração antiga: uma rampa que conduzia à plateia, uma "sala de fumo" no andar superior, adornada com retratos de vedetas de várias nacionalidades, o balcão ao nível da entrada, ao contrário do que era costume noutras salas.
Nova fase se seguiu, já em época mais chegada. O "Salão Ideal" mudou de rumo, nos anos 70; passou a «CINE CAMÕES» e deixou de dar as sessões contínuas,  os filmes de "cow-boys" e de capa e espada. Houve obras de remodelação e no ecrã passaram a ser exibidos filmes indianos, com o seu cortejo de beldades orientais e "dramalhões" pesados.
A última mudança tinha-se processado há poucos anos quando, depois de algum tempo de encerramento, surgiu novo nome e nova faceta: «CINE PARAÍSO» se chamava agora o cinema e, como se disse, dedicou-se aos filmes pornográficos. 
Oxalá esta "onda de ciclos" efectuada corresponda a um belo futuro para a centenária sala do "LORETO"! É sempre tempo  para mudar.
Salvo melhor opinião, o destino destas salas antigas, pequenas, cheias de tradição cinematográfica de outros tempos, deveria ser este mesmo; o de servirem para ciclos de filmes, apresentados por ordem temática, por realizadores, por qualquer critério válido. Serem, afinal, complemento da Cinemateca.
Como curiosidade, não queria deixar de referir que já existiu, nos alvores do século XX na "Rua da Palma" (hoje ocupado por prédios e lojas), um recinto elegante, destinado ao lazer do alfacinha e tinha por nome «PARAÍSO DE LISBOA».  [ FINAL ]

BIBLIOGRAFIA

- ARAÚJO, Norberto de - Peregrinações em Lisboa - Livro V -Vega- 2ª Ed. 1992 - Lisboa

- DIAS, Marina Tavares - Lisboa Desaparecida - Livro 7 - Quimera - 2001- Lisboa

- MACEDO, Luís Pastor de - Lisboa de Lés a Lés - Vol. III-3ª Ed. Publicações Culturais da Câmara Municipal de Lisboa - 1985.

- SANTANA, Francisco e SUCENA, Eduardo (Dir.)-Dicionário da História de Lisboa-Carlos Quintas & Associados - Consultores,Lda. - 1994 - SACAVÉM.

INTERNET


(PRÓXIMO)- ÍNDICES DE -AVENIDAS, CAMPO, JARDIM, LARGOS, PRAÇAS E RUAS DE LISBOA, TRATADAS NESTE BLOGUE DURANTE O ANO DE 2012.
Enviar um comentário