quarta-feira, 15 de maio de 2013

RUA DO AÇÚCAR [ III ]

 Rua do Açúcar - MAPA DOS FOROS DE MARVILA (1752) - (Instituto de Arquivos Nacionais/Torre do Tombo-Arquivo da Casa de Abrantes-Morgado do Esporão Nº 194, Doc. 4045). Esta planta desenhada à mão é acompanhada pela seguinte legenda: - 1)Palácio e Quinta de Marvila; - 2)Casas defronte do jardim; - 3)Courela defronte do pátio; - 4)Três moradas de casas na "Rua Direita de Marvila"; - 5) Quinta defronte da Cruz ao sair da azinhaga das Fontes; - 6)Vinha (separada da Quinta de Marvila) chamada de Calçada; - 7)Casas na "Rua de São Bento dos Loios" para Marvila; - 8)Quinta e Palácio dos Marqueses de Marialva; - 9)Luís da Costa Campos; - 10)José da Rocha de Vasconcelos; - 11)Padre Estêvão Pissola(casas); - 12)João de Oliveira; - 13)Padre Gabriel da Silva; - 14)Francisco Tinoco; - 15)Luís da Costa; - 16)José Teixeira da Silva; - 17)Doutor Miguel de Araújo; - 18)Quinta do Bettencourt; -19)Convento Nossa Senhora da Conceição de Marvila; - 20)Quinta das Murtas. "A"-Azinhaga das Fontes (depois) Azinhaga dos Alfinetes - "B" - Estrada chamada de São Bento para Marvila e antiga para Sacavém; - "C" - Estrada para o (BEATO?), (Rua Direita do Açúcar) actual "RUA DO AÇÚCAR". in CAMINHO DO ORIENTE
 Rua do Açúcar - (2007) (Panorama da "Quinta de Marvila" podemos observar quase na sua totalidade. A direita o Convento de Santa Brígida, baptizado conforme o desejo de Brígida de Santo António, com o nome de "Nossa Senhora da Conceição", e ainda a doca do "Poço do Bispo") in GOOGLE EARTH
 Rua do Açúcar - (2007) - (Panorama da "Quinta de Marvila", vendo-se a "Quinta da Mitra" a do "Bettencourt" à direita, na parte esquerda a "MITRA" a "Quinta dos Marqueses de Marialva" in GOOGLE EARTH
Rua do Açúcar - (2007) - (Panorama da "Quinta da Mitra o Palácio e seus Jardins" entre a ferrovia e a "Rua do Açúcar") in GOOGLE EARTH

(CONTINUAÇÃO) - RUA DO AÇÚCAR [ III ]

«A RUA DO AÇÚCAR E SEU ENQUADRAMENTO ( 3 )»

Do lado norte dessa azinhaga e estendendo-se entre o rio e o "Vale Formoso de Baixo", ficava a quinta que foi dos "CONDES DE LINHARES", depois dos de "VALADARES", inicialmente conhecida também por quinta do Morgado de "MARVILA", apesar de estar fora dos terrenos abrangidos pelas propriedades episcopal. Mais tarde, talvez para evitar confusões, generaliza-se a designação de «QUINTA DO CONDE DE VALADARES» ao "POÇO DO BISPO".
Dispomos de um desenho tosco, (que iremos fazer acompanhar este post), trata-se de um documento feito à mão e datado de 1752, da subdivisão em foros de todos os terrenos da «QUINTA DE MARVILA», então propriedade de raiz do Morgado do ESPORÃO, e que acompanha como explicação o auto de posse do referido Morgado por "MANUEL RAFAEL DE TÁVORA", em nome do filho, o "CONDE DE VILA NOVA, então menor.
Este documento precioso, pois embora tosco é o mapa mais antigo desta zona, elucida-nos sobre a divisão da propriedade, permitindo identificar com mais ou menos precisão, algumas quintas hoje profundamente transformadas. Vamos olhá-lo com alguma atenção, seguindo a legenda que o acompanha, e identificando as parcelas da grande propriedade de «MARVILA» que mais directamente nos interessam.

MAPA DOS FOROS DE MARVILA - 1752

Começando por uma leitura global, individualizemos as principais vias desenhadas.
A nascente junto ao rio, corre o caminho ribeirinho, aqui chamado "ESTRADA PARA O BEATO". Entronca ele no "POÇO DO BISPO", que por lapso se designa por "BEATO", onde começa a subir a "RUA DE MARVILA", que atravessa em arco o desenho, como eixo central de toda a propriedade, aqui dita "ESTRADA chamada de SÃO BENTO para MARVILA e antiga para SACAVÉM". Dela nasceu para poente duas azinhagas a das "FONTES" (depois  ALFINETES)e outra não nomeada, hoje "RUA JOSÉ DO PATROCÍNIO", ambas cruzando-se a poente na então "ESTRADA NOVA DO FUNDÃO". Entre estas vias, isola-se uma vasta parcela de terreno, com o número ( 1 ), e designada por "QUINTA GRANDE", correspondendo à propriedade principal, então do referido " CONDE DE VILA NOVA", depois «MARQUÊS DE ABRANTES». Mas é o espaço a nascente entre a referida "RUA  DE MARVILA" e a "RUA DO AÇÚCAR" que especialmente nos interessa.
Aqui encontramos as seguintes parcelas, referentes a quintas que adiante iremos apreciar. Partindo da fronteira do "BEATO", e devidamente identificadas na legenda, encontramos: com o (Nº 20) a "QUINTA DAS MURTAS", com o (Nº 8) a do "MARQUÊS DE MARIALVA", com o seu Palácio bem desenhado sobre a "RUA DE MARVILA".
A este segue-se a propriedade aforada à «MITRA», não numerada, onde se ergue o Palácio desse nome, vizinho do lote (Nº3), referido como "Courela em frente ao palácio", ou seja uma parcela ainda então na posse directa do senhorio. Depois, o (Nº18) corresponde ao lote do "BETTENCOURT", terminando por fim num cone imperfeito com o (Nº19), onde então já se achava construído o «CONVENTO DAS BRÍGIDAS DE MARVILA». Alguma confusão se levanta com os números (7) e (9), apresentados respectivamente na legenda como "casas na Rua de São Bento e foro de Luís da Costa Campos", sem mais especificações. Estamos em crer que o (Nº9) corresponderá à chamada "QUINTINHA", já então na posse da "CASA DE MARIALVA", que a adquiriu e, 1717 a um tal "REBELO DE CAMPOS", nome que o autor do desenho possivelmente se deve ter confundido no primeiro apelido, transformando o "REBELO" em "COSTA"

(CONTINUA) - (PRÓXIMO)-«RUA DO AÇÚCAR [ IV ]- A RUA DO AÇÚCAR E SEU ENQUADRAMENTO ( 4 )»