quarta-feira, 23 de julho de 2014

RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [ IX ]

RUA HELENA FÉLIX ( 2 )
 Rua Helena Félix - (2014) - (A saída da RUA HELENA FÉLIX" para a AVENIDA DAS FORÇAS ARMADAS)  in  GOOGLE EARTH
 Rua Helena Félix - (2014) - (A RUA HELENA FÉLIX no final do lado direito in  GOOGLE EARTH
 Rua Helena Félix - (2014) - (A RUA HELENA FÉLIX no final do lado esquerdo, junto de parques privados)  in GOOGLE EARTH
 Rua Helena Félix - (24 de Setembro de 2012) Foto de João Francisco (O que resta do "TEATRO VASCO SANTANA", antigo estúdio da RTP e Teatro-Estúdio de Lisboa, na antiga FEIRA POPULAR de ENTRECAMPOS, encerrada em 2003) in  BECO DAS BARRELAS
Rua Helena Félix - (1948) - (HELENA FÉLIX na revista "O TICO-TICO" representada no TEATRO MARIA VICTORIA em 1948 com MIRITA CASIMIRO e EUGÉNIO SALVADOR) in HISTÓRIA DO TEATRO DE REVISTA

(CONTINUAÇÃO) RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [ IX ]

«RUA HELENA FÉLIX ( 2 )»

Em consequência dos bons resultados obtidos nos seus trabalhos, o empresário ROBLES MONTEIRO convidou-a para umas representações na cidade do PORTO, integrada na COMPANHIA DO TEATRO NACIONAL D. MARIA II, com a peça "AS MENINAS DA FONTE DA BICA", mas este trabalho ficaria sem efeito, no entanto acabaria por chegar essa oportunidade.
HELENA FÉLIX partiu para PARIS. Por lá se especializou o mais que lhe fora possível, no regresso teve um convite para integrar o elenco da peça "MISS BABEL", no TEATRO DA TRINDADE, onde trabalha ao lado de PALMIRA BASTOS.
Veio depois "O NINHO DE ÁGUIAS" e o ingresso durante onze anos na Companhia do TEATRO D. MARIA II.
Realizou-se ainda uma tentativa isolada de reatar a tradição das Revistas de Carnaval, com o "PONTO DE VISTA" de Varela Silva com música de LUCIEN DONNAT no NACIONAL, em que se caricaturavam as personagens da peça que a companhia então representava ("VISTA DA PONTE" de ARTHUR MILLER), com intervenção de MARIANA REY-MONTEIRO, LURDES NORBERTO, HELENA FÉLIX, EURICO BRAGA e RAUL DE CARVALHO.
No inicio dos anos sessenta vai para LONDRES, durante três anos estuda numa das melhores escolas londrinas. Quando regressa a PORTUGAL procura um teatro disponível para trabalhar e receber a sua COMPANHIA DE TEATRO - "O TEATRO-ESTÚDIO DE LISBOA". Encontrou um espaço na FEIRA POPULAR DE LISBOA, ate então utilizado como estúdio de Televisão.
Com seu repertório, criteriosamente escolhido, pretendia alertar consciências e, devido a essa manifesta intenção, a Companhia teve sempre grandes problemas com a censura. A Censura do velho regime não perdoavam a ousadia do TEATRO-ESTÚDIO DE LISBOA e tornavam a sua vida num verdadeiro inferno. Mesmo assim ainda foram representadas: "AS MÃOS DE ABRAÃO ZACUT" de Sttal Monteiro em 1969, "A LOUCA DE CHAILLOT" de JEAN GIRAUDOUX e "QUEM É ESTA MULHER" de MARGUERITE DURAS (que valeram a HELENA FÉLIX, o prémio LUCINDA SIMÕES para melhor actriz de 1968 e 1970, que escaparam também ao filtro apertado dos "sensores", juntando-se um reportório sério e exigente das obras de: SHAKESPEAR, TCHEKOV, STRINDBERG ou ARNOLD WESKER.
HELENA FÉLIX teve ainda algumas participações em filmes portugueses "QUANDO O MAR GALGOU A TERRA"(1950) de Henrique Campos, "OS TOUROS DE MARY FOSTER" de Henrique Campos e "O MAL AMADO", onde a actriz deixou bem vincada para a posteridade a marca da sua imensa dedicação à arte de representar. 

Após 12 anos a sua fundação, o TEATRO-ESTÚDIO DE LISBOA, teve de fechar as portas, face a enormes dificuldades, apesar de já no tempo da revolução do 25 de Abril de 1974. HELENA FÉLIX começa afastar-se aos poucos. No ano de 1985 aceitou voltar ao cinema para fazer "A NOITE E A MADRUGADA"(1985) drama de ARTUR RAMOS, fechando assim o seu percurso da sétima arte.
Mas seria injusto esquecer o contributo de tantos artistas secundários que à revista e ao cinema, emprestaram o seu talento a sua presença insinuante, como, entre outras, a HELENA FÉLIX.  

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [ IX ]-RUA EUGÉNIO SALVADOR»
Enviar um comentário