quarta-feira, 20 de agosto de 2014

RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [XVII]

RUA ACTOR VASCO SANTANA ( 1 )
 Rua Actor Vasco Santana - (2014) (A "RUA ACTOR VASCO SANTANA" no novo Polo do BAIRRO DE ACTORES, no Bairro de Santa Cruz em BENFICA) in  GOOGLE EARTH
 Rua Actor Vasco Santana - (2007) - (Panorâmica do "BAIRRO DE SANTA CRUZ" em BENFICA onde está inserida a RUA ACTOR VASCO SANTANA)  in  GOOGLE EARTH
 Rua Actor Vasco Santana - (2014) (A RUA ACTOR VASCO SANTANA no Bairro de Santa Cruz em BENFICA) in  GOOGLE EARTH
 Rua Actor Vasco Santana - (1941) Desenho de Leite Rosa (Cartaz do filme "O PAI TIRANO", protagonizado por: MARIA DA GRAÇA; VASCO SANTANA; RIBEIRINHO; LEONOR MAIA; ARTUR DUARTE; LUIZA DURÃO; TERESA GOMES; BARROSO LOPES e outros) in RESTOS DE COLECÇÃO
 Rua Actor Vasco Santana - ( 1937) Foto de autor não identificado (VASCO SANTANA e Mirita Casimiro, numa cena da Revista "OLARÉ QUEM BRINCA", exibida no Teatro Variedades no Parque Mayer, um quadro passado no "RETIRO DA SEVERA" in  LISBOA NO GUINESS
Rua Actor Vasco Santana - (1933) (A graciosa comédia musical do filme "A CANÇÃO DE LISBOA" com Beatriz Costa e Vasco Santana) in CITI

(CONTINUAÇÃO) RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [ XVII ]

«RUA ACTOR VASCO SANTANA ( 1 )»

A «RUA ACTOR VASCO SANTANA» pertence à freguesia de «BENFICA». Começa na "RUA DAS GARRIDAS" e tem o seu final na "RUA DO PARQUE", no BAIRRO DE SANTA CRUZ. Tem convergente no lado direito a "RUA ACTOR ALVES DA CUNHA" e é atravessada pela "RUA MAESTRO RAUL FERRÃO". No seu lado esquerdo convergem a "RUA ACTOR ESTÊVÃO AMARANTE" e a "RUA ACTOR NASCIMENTO FERNANDES". Por Edital Municipal de 10 de Abril de 1969, a CML veio a construir um novo "POLO DO BAIRRO DE ACTORES" (provavelmente o segundo) e designou que o topónimo deste actor ficasse na "RUA-12" deste bairro.
Sem querermos menosprezar outros artistas, estamos convencidos de que se houve alguém que marcou o teatro no século XX, esse poderá certamente chamar-se VASCO SANTANA, tendo sido actor de operetas, teatro, comédias, teatro de revista à portuguesa, cinema e ainda na rádio. VASCO SANTANA não carece muita identificação, basta dizer que era o "gordo" bonacheirão dos filmes antigos, (calão ou bêbado) quase sempre bem-disposto, ainda assim dado a fúrias que passavam depressa. As suas personagens sobrevivem na sua capacidade de fazer rir.

«VASCO ANTÓNIO RODRIGUES SANTANA» de seu nome completo, nasceu em LISBOA na freguesia de BENFICA em 28 de Janeiro de 1898 no seio de uma família burguesa atípica. Nascido de uma família ligada ao TEATRO, nomeadamente o seu pai, "HENRIQUE SANTANA", que no início do século XX era talvez o mais respeitado ensaiador e cenógrafo da cena lisboeta, e ainda seu tio "LUÍS GALHARDO" (pai) era, nos anos Vinte, um potentado no mundo do espectáculo alfacinha, sobretudo depois de se criar, em plena "AVENIDA DA LIBERDADE" o "PARQUE MAYER", durante várias décadas o centro de diversões da Capital do país. Mas seria, porém, com o primo "JOSÉ GALHARDO" (que terá seguido as pegadas do pai), que VASCO SANTANA manteria uma relação profissional nos anos 30, ao produzir alguns êxitos tanto cinematográficos como teatrais.
VASCO SANTANA inscreve-se em Arquitectura, parecia assim, escapar ao mundo do TEATRO, para alívio do pai, e dar seguimento ao talento precoce pelo desenho. Ficaria no entanto pelo terceiro anos do "CURSO GERAL DAS BELAS-ARTES". No entanto matricula-se na ESCOLA DE ARTE DE REPRESENTAR (o actual CONSERVATÓRIO), não por vontade explícita de se tornar actor, mas simplesmente para ir atrás de uma bonita rapariga de quem gostava.
Por volta de 1917 (nas suas próprias palavras) era um namoradeiro, um conquistador, que se ia tornando conhecido o seu sorriso, a sua simpatia, o seu bom humor.
Em 21 de Outubro de 1917, um Domingo de touros, ocorreu o episódio que transformou VASCO SANTANA em actor. A história foi contada, ao longo da sua vida, por si e por outros, vezes sem conta. Com ligeiras diferenças, "a coisa ter-se-há passado mais ou menos assim": ao percorrer num eléctrico, a Avenida da Liberdade, a caminho do Campo Pequeno, foi abordado para acorrer a uma emergência - ARTUR RODRIGUES - "compère" da revista em cena no TEATRO AVENIDA com "O BEIJO" (de ARNALDO LEITE e CARVALHO BORGES), adoecera subitamente e a "matiné" daquela tarde estava em risco de não se realizar. VASCO assistia à peça tantas vezes que sabia o papel de cor. Após muita insistência, lá conseguiram convencê-lo a entrar no palco para desempenhar " O PALAVREADOR" nome da personagem central. Alguns dias depois, era assim noticiado pelo JORNAL DOS TEATROS: "Novo Actor: por motivo de doença do actor A. Rodrigues, estreou-se no AVENIDA, desempenhando o papel de "compère" ma peça "O BEIJO", o nosso amigo VASCO SANTANA, rapaz muito estudioso e inteligente. Dizem-nos que o seu trabalho foi uma verdadeira revelação para o público". 
O episódio da estreia de VASCO foi sempre contada como um acaso. Como se, de um dia para o outro, aquele jovem sem destino marcado, mas em posição de ser mais ou menos tudo aquilo que quisesse na vida, tivesse descoberto a verdadeira vocação. Foi, sem dúvida, um acaso, e um acaso que podia ter corrido mal.
VASCO SANTANA frequentador do meio teatral, muito popular, criativo e filho de um respeitado ensaiador de TEATRO, sobrinho de um dos mais poderosos empresários do momento, parecia inevitavelmente fadado para, pelo menos por brincadeira, experimentar em palco a sua extroversão natural.
Aconteceu tudo muito rapidamente nos primeiros anos da carreira de VASCO SANTANA. Os favores do público, os elogios da crítica, os contratos (no seu caso), não se fizeram esperar, ao contrários do que acontecia com a generalidade dos principiantes.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES E ACTORES [XVIII]-RUA ACTOR VASCO SANTANA (2)»
Enviar um comentário