sábado, 24 de janeiro de 2015

RUA DO BEATO [ II ]

«O BEATO ANTÓNIO ( 1 )»
 Rua do Beato - (2014) (A Fachada principal da antiga IGREJA DO BEATO ANTÓNIO na ALAMEDA DO BEATO, nesta altura a ser melhorada) in  GOOGLE EARTH
 Rua do Beato - (Século XVI) (Frades dos Cónegos Seculares de S. João Evangelista-Ordem dos Lóios, onde Frei ANTÓNIO DA CONCEIÇÃO ou BEATO ANTÓNIO pertencia) in  WIKIPÉDIA
 Rua do Beato - (Anos 50 do século XX Foto de Henrique Cayola) (A ALAMEDA DO BEATO ao fundo a antiga IGREJA DO BEATO, hoje propriedade do grupo CEREALIS, SGPS)  (Abre em tamanho grande)  in  AML
 Rua do Beato - (2012) (Pormenor da fachada da antiga IGREJA DO BEATO, na ALAMEDA DO BEATO)  in  HISTÓRIA DE PORTUGAL 
Rua do Beato - (2014)  (Entrada para a "ALAMEDA DO BEATO" ao fundo a antiga IGREJA DO BEATO ANTÓNIO, à nossa direita o edifício da fábrica de moagem de JOÃO DE BRITO do século XIX) in  GOOGLE EARTH

(CONTINUAÇÃO)- RUA DO BEATO [ II ]

«O BEATO ANTÓNIO ( 1 )»

«FREI ANTÓNIO DA CONCEIÇÃO» veio de ÉVORA enviado pelos seus superiores para a cidade de LISBOA, onde a ordem tinha dois CONVENTOS; um, nas proximidades do CASTELO DE S. JORGE, no LARGO que hoje ainda conserva o nome dos LÓIOS e no local onde esteve instalado um quartel da Guarda Nacional Republicana; e outro tinha sido fundado graças às instâncias da rainha D. ISABEL, mulher de D. AFONSO V, e situava-se junto do sítio chamado de "ENXOBREGAS" ou XABREGAS como hoje dizemos.
A este último se recolheu FREI ANTÓNIO DA CONCEIÇÃO em 1570. E logo se chocou com a pequenez do sítio onde se albergavam os seus irmãos em religião, sonhando a partir daí com a ampliação e engrandecimento do edifício religioso.
Entretanto, a sua fama de bom conselheiro e de homem Santo terá eventualmente chegado à CORTE.  D. JOÃO III não hesitou em o escolher para confessor, o mesmo sucedendo com sua mulher, D. CATARINA, e com seu irmão, o CARDEAL D. HENRIQUE, que viria a ser REI efémero.
Conta também o mestre JÚLIO CASTILHO que no dia 20 de Julho de 1596 chegava à praia de XABREGAS o DUQUE DE BRAGANÇA, "D. TEODÓSIO II.  Vinha de VILA VIÇOSA e só parara na ALDEIA GALEGA ( hoje MONTIJO) o tempo indispensável para ser transportado a LISBOA, tal a urgência que tinha de se encontrar com o "BEATO". Segundo o relato, o DUQUE dirigiu-se prontamente à cela de FREI ANTÓNIO e lá esteve largo tempo.
O primitivo Conventinho que fora, como se disse, devido à vontade da rainha "ISABEL" (mas levado a cabo por seu marido D. AFONSO V, já que a soberana morreu muito cedo, com 23 anos) fora edificado junto de uma capela dedicada a SÃO BENTO.  E conservou o templo essa designação, mesmo quando para ali foram os frades LÓIOS e a devoção maior se orientou para "SÃO JOÃO EVANGELISTA".
Ora o CARDEAL HENRIQUE, então infante, era tão assíduo na procura de "FREI ANTÓNIO" que em breve o povo de LISBOA cantava:
                                          "QUEM QUISER FALAR AO CARDEAL
                                           VÁ ATÉ SÃO BENTO
                                           QUE ESTÁ DE PORTAS A DENTRO
                                           DEBAIXO DO LARANJAL". 
Também D. SEBASTIÃO  cedo começou  a frequentar o sítio de XABREGAS. Sua avó, a rainha D. CATARINA, levava-o ali à MISSA.
Conta-se mesmo que as tiras de ferro que existiam no coro se deviam ao facto de as ter ali mandado colocar a rainha, com medo de que o seu neto caísse por entre as grades. Diz ainda a tradição que D. SEBASTIÃO, antes de partir para a fatídica viagem de ALCÁCER QUIBIR, mandou recados a FREI ANTÓNIO DA CONCEIÇÃO e pediu a sua bênção para a empresa.
Quer isto dizer que o «BEATO ANTÓNIO» antes de o ser já o era... O povo não hesitou em atribuir-lhe dotes de santidade. Mas, certamente para que não se estabelecessem confusões com o "SANTO ANTÓNIO", passou a designá-lo por "BEATO ANTÓNIO" ou simplesmente "BEATO", Como é sabido o nome ficou na toponímia lisboeta e, mais do que isso, passou a constituir nome de uma das freguesias da cidade de LISBOA. E a IGREJA acabou por elevar o fradinho ao grau de "SANTO", já no século XVIII. 

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUA DO BEATO [ III ] O BEATO ANTÓNIO ( 2 )»
Enviar um comentário