quarta-feira, 11 de novembro de 2015

RUA DA ESCOLA POLITÉCNICA [ XV ]

«O PALÁCIO CRUZ ALAGOA ( 3 )»
 Rua da Escola Politécnica - (2002) Foto de Teresa Vale - (Fachada principal do "PALÁCIO CRUZ ALAGOA", vista geral de Sueste, na "RUA DA ESCOLA POLITÉCNICA" in  MONUMENTOS - SIPA
 Rua da Escola Politécnica - ( 1993 Foto de Henrique Ruas - (No "PALÁCIO CRUZ ALAGOA" existe uma porta no piso térreo da rua, realçada por um desenho de arco tipo rebaixado) in  SÉTIMA COLINA
Rua da Escola Politécnica - (1927) Foto de autor não identificado (Barricada na frente do "PALÁCIO CRUZ ALAGOA", uma revolução Militar em Fevereiro de 1927, que ficou conhecida pelo "REVIRALHISMO")  (Abre em tamanho grande)  in  AML 


(CONTINUAÇÃO) - RUA DA ESCOLA POLITÉCNICA [ XV ]

«O PALÁCIO CRUZ ALAGOA ( 3 )»

Nessa parte viveu o actor "FERREIRA DA SILVA" que fez (ou encontrou feito) um salão oitocentista de alto pé direito, entrando pelo espaço do telhado, em nobilitação presunçosa.
Mais inquilinos usaram este PALÁCIO no século XX. O poeta e Diplomata "ALBERTO DE OLIVEIRA, o Engenheiro "GABRIEL RAMIRES DOS REIS, chefe dos serviços técnicos do "DIÁRIO DE NOTÍCIAS" e Administrador do "JORNAL DO COMÉRCIO", o historiador nacionalista oficioso "JOÃO AMEAL".
Nesta PALÁCIO existe também, desde os anos sessenta do século passado, a galeria "DINASTIA" que promove leilões de obras de arte e antiguidades.
Relativamente ao outro espaço foi sede da "ACADEMIA PORTUGUESA DE HISTÓRIA", até ser transferida para o "PALÁCIO ROSA", e do "PARTIDO POPULAR MONÁRQUICO (PPM)", no rés-do chão está instalada a "GALERIA S. MAMEDE", que se evidenciou na exposição e venda da arte contemporânea.

Um dos pátios na confusa definição da planta, em quintais que o tempo tem encurtado, dos primitivos "CRUZES", abrindo pelos portões da rua, não estão aproveitados como se desejaria, em lojas ou artesanato, para o que há projecto também, podendo vir a proporcionar ali um tranquilo espaço interior de lazer.

Pegam com este casarão, dois prédios que foram propriedade do "PALÁCIO PALMELA", servindo este palácio fronteiro, habitação de pessoal ou cocheiras que, alienados há anos, e propositadamente degradados, aguardam restauro necessário à imagem da rua; ou demolição que o INSTITUTO DO PATRIMÓNIO, contra a própria área de protecção da zona que estabeleceu, parece autorizar, a favor, não se entende de que interesses particulares.

Numa foto que hoje publicamos, podemos observar uma barricada junto ao lado poente do antigo "PALÁCIO CRUZ ALAGOA", até com algumas danificações no próprio edifício, resultado do conflito. Quisemos saber de que se tratava esta revolução de 1927 e chegámos a esta conclusão: Tem relação com a "REVOLTA DE FEVEREIRO DE 1927" por vezes também referida como a "REVOLUÇÃO DE FEVEREIRO DE 1927", foi uma rebelião militar que ocorreu entre 3 e 9 de Fevereiro de 1927, centrada no PORTO, cidade onde estava instalada o "CENTRO DE COMANDO" dos insurrectos e se travaram as primeiras manifestações. A "REVOLTA" liderada pelo General "ADALBERTO GASTÃO DE SOUSA DIAS", terminou com a rendição e prisão dos revoltosos, saldou-se em cerca de 80 mortos e 360 feridos no PORTO, e mais de 70 mortos e 400 feridos em LISBOA. Foi a primeira tentativa consequente de derrube da "DITADURA MILITAR" (que durou aproximadamente 48 anos) que então se consolidava em PORTUGAL na regência do golpe de 28 de Maio de 1926, ocorrido nove meses antes, iniciando um conjunto de movimentos, insurreições que ficaram conhecidos para a história como "REVIRALHISMO".


(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUA DA ESCOLA POLITÉCNICA[ XVI ]-O PALÁCIO CRUZ ALAGOA ( 4 )».  

Enviar um comentário