sábado, 26 de novembro de 2016

LARGO DE ANDALUZ [ IV ]

«O LARGO DE ANDALUZ ( 4 )»
 Largo de Andaluz - (1949) - (Foto de autor não identificado) - (Edifício de habitação no "LARGO DE ANDALUZ", que lhe valeu o "Prémio Municipal de Arquitectura" pela definição do gaveto)  in  CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA 
 Largo de Andaluz - (195_) - (Foto de Firmino Marques da Costa) - (Edifício que ganhou o prémio Municipal de Arquitectura, visto do ARCO DO VIADUTO do Largo de Andaluz, uns anos mais tarde) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in  AML 
 Largo de Andaluz - ( 1960 ) - Foto de Armando Serôdio)  - (O "CHAFARIZ DE ANDALUZ" virado para a "RUA DE SANTA MARTA", já com um aspecto mais livre na parte de trás)  in   AML
 Largo de Andaluz - (1939) - (Foto de Eduardo Portugal ) - (O CHAFARIZ DE ANDALUZ ainda com o seu espaldar muito elevado e um pouco degradado)   in     AML 
Largo de Andaluz - (1939) - (Foto de Eduardo Portugal) - (O "CHAFARIZ DE ANDALUZ" que ostenta as armas de PORTUGAL e de LISBOA. Estas ARMAS foram uma das fontes do desenho das actuais ARMAS de LISBOA, adoptadas em 1940. A inscrição remonta ao século XIV)  in   AML 

(CONTINUAÇÃO)- LARGO DE ANDALUZ [ IV ]

«O LARGO DE ANDALUZ ( 4 )»

No espaldar do "CHAFARIZ DE ANDALUZ" aparecem as armas Reais e as Municipais, que mais tarde, servem de referencia para adoptar estas figuras Heráldicas.

Estas «ARMAS DE PORTUGAL» e de «LISBOA» que se encontram no  "CHAFARIZ DE ANDALUZ", as quais datam de 1336, foram uma das fontes do desenho das actuais "ARMAS DE LISBOA", adoptadas em 1940, com fundamento em parecer da "COMISSÃO DE HERÁLDICA DA ASSOCIAÇÃO DOS ARQUEÓLOGOS PORTUGUESES", segundo o qual "a "CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA" deve restaurar para a ordenação do seu selo, exactamente as peças simbólicas que aparecem nos mais antigos e belos documentos que restam dos primeiros séculos da nacionalidade".
Esta representação de SIMBOLOGIA juntamente com a mais antiga da bica de ARROIOS, foram motivo de discussão e aprovação na Sessão de 18 de Setembro de 1920, conjuntamente com a Secção de ARQUEOLOGIA LISBONENSE e de HERÁLDICA.

O motivo era submeter à apreciação dos consórcios uma carta do vereador da C. M. L., "ALMEIDA SANTOS", acompanhada de uma proposta do seu colega "EDUARDO MOREIRA" «para que fosse modificado o brasão de armas da capital».
Ficou apenso na acta um "parecer" de MATOS SEQUEIRA em que, quanto ao BRASÃO DE LISBOA, opta pelas mais antigas representações que são:  as BICAS de "ARROIOS" e de "ANDALUZ" - o primeiro de 1360 e o segundo de 1374 - e acrescentando; «na mesma ordem de ideias entendo que os corvos ( e não o corvo) que aparece nos mais vetustos documentos, devem ser colocados um à proa e outro à popa, de bico voltado para dentro da embarcação».

EDIFICAÇÃO RENOVADA NO SÍTIO DE ANDALUZ

O Edifício mandado construir por "MANUEL JOSÉ JÚNIOR" no "LARGO DE ANDALUZ", 15 e 15C e "LARGO DAS PALMEIRAS", 11 e 11A, com projecto dos Arquitectos "JOSÉ LIMA FRANCO e "DÁRIO SILVA VIEIRA", foi-lhe atribuído o PRÉMIO MUNICIPAL DE ARQUITECTURA de 1949.  A definir gaveto, este imóvel, onde se observa a presença de modelos construtivos do ESTADO NOVO, anuncia já um certo ar de modernidade. Com uma linguagem formal depurada, apresenta como únicos elementos decorativos dois baixos-relevos em pedra sobre as portas de entrada. Caracteriza-se para uma função mista de habitação e escritórios.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«LARGO DE ANDALUZ [ V ] -O VIADUTO DO LARGO DE ANDALUZ».
Enviar um comentário