quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

RUA DA PALMA [ VII ]

«A IGREJA DO SOCORRO»
 Rua da Palma - (1903) Gravador e desenho de J. Novaes - (Gravura da "IGREJA  NOSSA SENHORA DO SOCORRO" - já demolida - ao fundo o "TEATRO APOLO", publicada no Livro "LISBOA" de Alfredo Mesquita, pág. 601 e LISBOA Revista Municipal Nº. 24, página 45 de 1988) in LISBOA de ALFREDO MESQUITA
 Rua da Palma - (191_?) - Foto de Joshua Benoliel - (A "IGREJA DO SOCORRO, parte da sua fachada, esquina para a RUA DA PALMA) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 
 Rua da Palma - (ant. 1949) Foto de Eduardo Portugal - (A "IGREJA DO SOCORRO" na "RUA DE SÃO LÁZARO"  com esquina para a "RUA DA PALMA", antes das demolições do MARTIM MONIZ)  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in    AML 
 Rua da Palma - ( 1949 ) - Foto de Eduardo Portugal - (Estaleiro montado para a demolição da "IGREJA DO SOCORRO" com a finalidade de alinhar e alargar a RUA DA PALMA) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in    AML
 Rua da Palma -  (c. 1952) Foto de Firmino Marques da Costa - (Local onde existia a IGREJA DO SOCORRO, demolida em 1949) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)   in    AML 
Rua da Palma - (195_) Foto de Judah Benoliel - (Espaço onde existiu a IGREJA DO SOCORRO, demolição efectuada para o alargamento da RUA DA PALMA)  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 


(CONTINUAÇÃO) - RUA DA PALMA [ VII ]

«A IGREJA DO SOCORRO»

Na Ermida de invocação de SÃO SEBASTIÃO DA MOURARIA, depois titulada de "NOSSA SENHORA DA SAÚDE E SÃO SEBASTIÃO", construída na "RUA DA MOURARIA" a expensas da IRMANDADE DE SÃO SEBASTIÃO, e constituída por "IRMÃOS ARTILHEIROS", foi criada cerca de 1596, no tempo do ARCEBISPO DOM MIGUEL DE CASTRO, uma nova freguesia que se chamou de "SÃO SEBASTIÃO DA MOURARIA", desmembrada da freguesia de SANTA JUSTA.
Pessoas devotas congregaram-se para a construção de um templo privativo, no LARGO chamado  do SOCORRO e RUA DE SÃO LÁZARO. 
Nessa época a RUA NOVA DA PALMA ainda não estava construída, no troço entre as RUAS de MARTIM MONIZ e FERNANDES DA FONSECA, e a frontaria da IGREJA, voltada ao Norte, caía sobre uma rua rasgada entre as hortas, que atravessava o vale entre a "RUA DE SÃO LÁZARO" e a "RUA DA MOURARIA"; chamava-se-lhe  "CARREIRINHA DO SOCORRO", e a parte conservada é hoje a chamada "RUA FERNANDES DA FONSECA".
O novo templo foi inaugurado solenemente no dia 29 de Setembro de 1646, tendo vindo para ele, da ERMIDA DA SAÚDE, a imagem de "NOSSA SENHORA DO SOCORRO", que deu o título à IGREJA e à PARÓQUIA.

No dia 1 de Novembro de 1755 (com o Terramoto) ficou bastante arruinada a IGREJA, passando por isso os actos paroquiais a realizar-se na ERMIDA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, que ficava na portaria do COLÉGIO DE SANTO ANTÃO, actualmente o HOSPITAL DE SÃO JOSÉ.
Em 1763 já estava novamente a paróquia na sua IGREJA, reparada dos estragos do terramoto. A nova IGREJA DO SOCORRO ficou então orientada no sentido Sul-Norte, com uma saída lateral a poente. Antes do Terramoto, a IGREJA virava as costas à MOURARIA, e a fachada ficara onde estava a porta lateral. O templo não era rico, mas oferecia alguns pontos de interesse.
A IGREJA DE NOSSA SENHORA DO SOCORRO tinha uma única nave e o corpo da IGREJA era curto, com duas capelas de cada lado: a do SENHOR DOS PASSOS, em seu andor, e a do CORAÇÃO DE JESUS, do lado esquerdo; a de NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, com outras imagens, e a do S. JESUS DA AGONIA, do lado direito. Na CAPELA-MOR estava a imagem da padroeira (não a primitiva) mas a dita a "velha" NOSSA SENHORA DO SOCORRO, tendo nos lados SÃO SEBASTIÃO e SANTO ANDRÉ. 
A IGREJA tinha um curioso "ZIMBÓRIO"  octogonal, que no seu interior, cúpula do mal desenhado "transepto", oferece a particularidade de ostentar uma galeria (pintada, e tão bem pintada que iludia o espectador mais desprevenido).

O processo de demolição da IGREJA DO SOCORRO terá começado nos primeiros dias do mês de Agosto de 1949, altura em que foi assinada uma escritura de venda entre a C.M.L. na pessoa do seu Presidente ÁLVARO SALVAÇÃO BARRETO e o Juiz da IRMANDADE , AMÉRICO DO CARMO DE SANTA MARIA. Nos termos da escritura, o templo e edifícios anexos começaram a ser demolidos no dia 1 de Setembro de 1949. O PATRIARCADO retirou todas as alfaias e outros objectos de culto, colocando-os provisoriamente num pavilhão do "MARTIM MONIZ"

Iniciava-se assim a longa agonia do sítio do  SOCORRO. Demoliram-lhe a sua IGREJA PAROQUIAL (1949),  na estação de METRO, manteve o nome até (1998) passando a chamar-se depois de "MARTIM MONIZ", a freguesia que já vinha do ano de 1646, foi também em 2012, integrada na freguesia de "SANTA MARIA MAIOR", que mais lhe irá acontecer.  
Aquando da  demolição do "TEATRO APOLO"(1957) no quarteirão em frente onde permaneceu a IGREJA DO SOCORRO durante alguns séculos, já não existia, para observar o espectáculo.

(CONTINUA)-(PRÓXIMA)«RUA DA PALMA[ VIII ] O PALÁCIO FOLGOSA  E O HOTEL MUNDIAL» 

2 comentários:

Ricardo Moreira disse...

Actualmente já nem na estação de metro se mantém o nome, já que este mudou para "Martim Moniz" creio que em 1997 ou 1998.

APS disse...

Caro amigo Ricardo Moreira

É com muita satisfação que o "vejo" por estas paragens.

Como sempre, sou ultrapassado nas actualizações. Podia ter visto o actual mapa do METRO, foi falta minha, escusava de lhe ter chamado "SOCORRO". Sendo assim não há salvação para o "SOCORRO". Demoliram-lhe a IGREJA PAROQUIAL (1949), levaram-lhe o nome do METRO (1998) mudaram o nome da Freguesia em (2012), que mais lhe irá acontecer.

Os meus agradecimentos pela DICA, despeço-me com amizade.
Um abraço
Agostinho Paiva Sobreira-APS