quarta-feira, 5 de julho de 2017

RUA ALFREDO DA SILVA [ X ]

«A REORGANIZAÇÃO DAS FÁBRICAS»
 Rua Alfredo da Silva - (2016)  -  (A "RUA ALFREDO DA SILVA" na freguesia da "AJUDA", praticamente no seu final sem saída)  in   GOOGLE EARTH
 Rua Alfredo da Silva - ( 1900 )  -  (L' EXPOSITION UNIVERSALLE DE PARIS 1900, foi uma Feira Mundial em Paris, onde a CUF esteve representada com seus produtos, obtendo assim uma medalha de Ouro)   in   PINTEREST
 Rua Alfredo da Silva - (1907)  -  (O interior da Fábrica de Azeites de ALFERRAREDE, um engenho motorizado)   in    FOTOBIOGRAFIAS SÉCULO XX
 Rua Alfredo da Silva - (1907)  -  (O interior da Fábrica de Azeites  de ALFERRAREDE, a secção de prensas de segunda pressão)   in   FOTOBIOGRAFIAS SÉCULO XX
 Rua Alfredo da Silva - ( 1907)  - (Interior da fábrica de azeites de ALFERRAREDE, na escolha da azeitona)    in   FOTOBIOGRAFIAS SÉCULO XX
Rua Alfredo da Silva - (1907)  -  (FÁBRICA DE AZEITES DE ALFERRAREDE, escolha da azeitona para as prensas da primeira pressão)    in    FOTOBIOGRAFIAS SÉCULO XX


(CONTINUAÇÃO) - RUA ALFREDO DA SILVA [ X ]

«A REORGANIZAÇÃO DAS FÁBRICAS»

"ALFREDO DA SILVA" desejava a concentração de algumas companhias, em especial as de HENRIQUE BURNAY, titular de "peso" em quase todas. O empresário torneava assim um embaraço comum a muitos outros industriais: ausência de capital disponível para, por sua conta e risco, fazer arrancar o seu projecto.
A 15 de Abril de 1898, reuniria pela última vez a "ASSEMBLEIA GERAL" da Companhia Aliança Fabril-CAF.", que aprova a proposta de "fusão" com a "Companhia União Fabril". ALFREDO DA SILVA é então nomeado de imediato, (com o auxilio financeiro do Conde BURNAY), a nova empresa formalizada a 20 do mesmo mês, continuará a usar a designação de CUF, sendo o seu capital social elevado para 500 contos.
Ainda em 1898, perante a concorrência nacional e estrangeira, ALFREDO DA SILVA aposta na instalação de uma fábrica de ADUBOS QUÍMICOS. Três dias depois da fusão ordena o levantamento nas FONTAÍNHAS de nova fábrica de sabão, de oficinas de adubos compostos e de massa de purgueira. Pouco depois cria novos depósitos no PORTO e em COIMBRA.

As duas fábricas, ao tempo da fusão, estavam em franca decadência, mal estruturadas e administradas, os negócios não podiam prosperar. Os seus métodos de fabrico estavam antiquados e resultavam altos custos, os preços de venda estabelecidos sem prévio cálculos apropriados, a colocação dos produtos era feita ao acaso sem os convenientes e duradouros contactos com os compradores. Havia toda a necessidade de revolucionar os métodos de trabalho e reorganizar a contabilidade.

«Conta-se que um dos seus primeiros actos, mal aquecida ainda a cadeira da secretária onde se sentava, foi chamar o guarda-livros e perguntar-lhe, à queima-roupa, qual o preço de custo, segundo os cálculos da sua contabilidade, por quanto ficava cada barra de sabão amarelo produzida na antiquada fábrica das FONTAÍNHAS.  O contabilista indicou sem hesitar um preço. "Tem a certeza?", indagou o novo patrão.  "A certeza absoluta senhor SILVA", respondeu o empregado. O senhor SILVA manda-o então sentar-se e chamou o contínuo, a quem ordena que vá comprar uma barra de sabão amarelo à mercearia da esquina. Volvidos instantes regressa o contínuo com a barra de sabão, indicando como tendo sido o preço da compra uma cifra, precisamente igual a metade do preço indicado pelo guarda-livros. O senhor SILVA levanta-se, "carrega o cenho" ( 1 ), oferece a barra de sabão ao desgraçado do homem da contabilidade e "troveja": "o senhor está despedido!. [Fonte José Lello - perfil de ALFREDO DA SILVA, pág. 86].

Ia assim, começar a batalha da CUF pala conquista do Mercado Nacional.
ALFREDO DA SILVA revelava já em 1901 o seu grande espírito de organizador. Este industrial amigo do pormenor via as suas fábricas como unidades vivas, em evolução, susceptíveis de constantes melhorias técnicas e administrativas, sujeitas a uma permanente rectificação de modos de produção. Tudo de forma a impor os seus produtos, sobretudo através da diminuição de custos, única forma de ganhar a guerra dos preços. Era esta a luta a que se entregava. Os seus rivais, seriam em breve cilindrados.

A CUF obteria medalhas de OURO na "EXPOSIÇÃO UNIVERSAL DE PARIS" em 1900, e na EXPOSIÇÃO INDUSTRIAL DE SÃO MIGUEL. O esforço de modernização e expansão da empresa não abrandava.
ALFREDO DA SILVA amplia em 1902 a fábrica de sabão das FONTAÍNHAS e compra material circulante, outra caldeira, novo torno para a serralharia, etc.. Abre ainda nesse ano uma AGÊNCIA em TOMAR.
Propõe-se então ALFREDO DA SILVA alargar o âmbito industrial da CUF à extracção do azeite de oliveira. Não era um disparate. Por um lado pela primazia do azeite na alimentação nacional. Por outro lado havia hipóteses de o colocar na industria, em particular a conserveira. Em Janeiro de 1907 adquire uma fábrica em ALFERRAREDE, perto de ABRANTES, que logo lhe começa a assegurar elevados lucros.

- ( 1 ) - CENHO - Rosto carrancudo; aspecto sombrio.


(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUA ALFREDO DA SILVA [ XI ] ALFREDO DA SILVA E A C.C.F.L. ( 1 )».

Enviar um comentário