quarta-feira, 25 de outubro de 2017

RUA BARTOLOMEU DIAS [ I ]

«A RUA BARTOLOMEU DIAS E SEU ENQUADRAMENTO»
 Rua Bartolomeu Dias  -  (2016)  -  (Panorâmica da antiga "RUA DO BOM SUCESSO" hoje "RUA BARTOLOMEU DIAS")  in    GOOGLE EARTH
 Rua Bartolomeu Dias - (1856-1858) - Direcção de Filipe Folque  -  (Convento do Bom Sucesso na antiga "RUA DIREITA DO BOM SUCESSO" na Carta Nº 63) (Abre em tamanho grande)  in  ATLAS DA CARTA TOPOGRÁFICA DE LISBOA
 Rua Bartolomeu Dias -  (2016)  - (Vista de cima na parte Sul do "CONVENTO DO  BOM SUCESSO" na "RUA BARTOLOMEU DIAS" freguesia de BELÉM)  in  GOOGLE EARTH
 Rua Bartolomeu Dias - (1967-5) - Foto de Armando Maia Sorôdio - ("PALÁCIO MARIALVA" edificado na Quinta Real da Praia no século XVI. Informação de Norberto de Araújo em Inventário de Lisboa fascículo 4)   in    AML 
Rua Bartolomeu Dias - (1945)  - Foto de André Salgado  -  ("PALÁCIO DOS MARQUESES DE  MARIALVA" depois dos "MARQUESES E DUQUES LOULÉ", em 1929 foi adquirida pelo Estado)  in   AML 


(INÍCIO) - RUA BARTOLOMEU DIAS [ I ]

«A RUA BARTOLOMEU DIAS E SEU ENQUADRAMENTO»

A "RUA BARTOLOMEU DIAS" pertencia à freguesia de "SANTA MARIA DE BELÉM", hoje pela REFORMA ADMINISTRATIVA DE LISBOA DE 2012, juntamente com a antiga Freguesia de "SÃO FRANCISCO XAVIER" passaram a integrar a freguesia de «BELÉM».
Chamada anteriormente de "RUA DIREITA DO BOM SUCESSO" passou a "RUA DO BOM SUCESSO" por EDITAL MUNICIPAL de 8 de Junho de 1889 e mais tarde, pelo EDITAL de 07 de Agosto de 1911 ganhou a designação de "RUA BARTOLOMEU DIAS". Sendo a legenda colocada de «NAVEGADOR/SÉCULO XV» cerca de 46 anos depois, por proposta de 04 de Junho de 1957, ACTA Nº. 58 da "COMISSÃO CONSULTIVA MUNICIPAL DE TOPONÍMIA".
A "RUA BARTOLOMEU DIAS" começa na "PRAÇA DO IMPÉRIO" e finaliza na "AVENIDA DA TORRE DE BELÉM". São-lhe convergentes pelo lado esquerdo a "TRAVESSA DA SAÚDE" e "RUA DA PRAIA DO BOM SUCESSO", pelo lado direito  "RUA VILA CORREIA" e "RUA LUÍS BAILLE". 

No início da "RUA BARTOLOMEU DIAS" do lado esquerdo, situa-se a "MOLE" ( 1 )  do "CENTRO CULTURAL DE BELÉM", instalado na desaparecida "QUINTA DA PRAIA", junto da "vetusta" "PRAIA DO RESTELO" e pertenceu ao 5.º CONDE DE SÃO LOURENÇO "DOM RODRIGO DE MELO E SILVA", filho segundo dos 3.ºs  CONDES  desse título que foi, Gentil-homem da CÂMARA DO INFANTE DOM ANTÓNIO, irmão de "DOM JOÃO V. Este rei adquiriu a QUINTA à viúva daquele fidalgo, "DONA MARIANA ROSA DE LENCASTRE", 3.ª CONDESSA DE SABUGOSA, que transformou o edifício, modificando-lhe o aspecto exterior, e vedou a propriedade com um muro. Em 1729, o REI ofereceu a QUINTA ao 4.º MARQUÊS DE MARIALVA, 6.º CONDE DE CANTANHEDE, "DOM PEDRO JOSÉ DE ALCÂNTARA ANTÓNIO LUÍS FRANCISCO MENESES DE NORONHA COUTINHO".

A partir de 1820 a "QUINTA DA PRAIA" ficou na posse da família dos MARQUESES e DUQUES DE LOULÉ, até que foi vendida ao ESTADO pelo CONDE DE VALE DE REIS, "DOM PEDRO FOLQUE" em 1919, a fim de lá ser instalada a FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA, o que nunca chegou a acontecer.

Por perto havia o "ARCO DO BOM SUCESSO", assim chamado para se diferenciar do "ARCO DA TORRE", o primeiro foi demolido em 1837 para facilitar o transito.  A "VILA CORREIA" era o VIVEIRO-ESCOLA CORREIA DA SERRA, cujos terrenos e casas pertenciam à CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA (Departamento da Direcção de Estufas e Viveiros) ou (DIRECÇÃO DE ESPAÇOS VERDES)
A "VILA CORREIA" foi concebida há anos para alojar o pessoal da C.M.L. e operários das fábricas circunvizinhas na época. Parte das moradias antigas foram demolidas, e uma empresa construiu recentemente nesse espaço, edifícios de grande volumetria, a que chamou "VILA CORREIA", mantendo assim o antigo nome.

- ( 1 ) - MOLE- Volume enorme; massa informe; construção gigantesca.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUA BARTOLOMEU DIAS[ II ]-A RUA BARTOLOMEU DIAS E O SÍTIO DO BOM SUCESSO»

Enviar um comentário