sábado, 27 de janeiro de 2018

LARGO RAFAEL BORDALO PINHEIRO [ VII ]

«RAFAEL BORDALO PINHEIRO ( 1 )»
 Largo Rafael Bordalo Pinheiro - (2014)  -  (O "LARGO RAFAEL BORDALO PINHEIRO" era um local de boas lojas no passado, e estão novamente a surgir os bons tempos)  in  GOOGLE EARTH
 Largo Rafael Bordalo Pinheiro - ( 1887 )  -  (Projecto da Fábrica de Faianças das CALDAS DA RAINHA em 1887)  in   RESTOS DE COLECÇÃO
 Largo Rafael Bordalo Pinheiro  -  (1877)  -  Capa da partitura da Compositora e Pianista "FRANCISCA GONZAGA" (Chiquita Gonzaga), com ilustração feita por Rafael Bordalo Pinheiro)  in   WIKIMÉDIA
 Largo Rafael Bordalo Pinheiro - ( 1884 )  -  (Retrato de RAFAEL BORDALO PINHEIRO por ocasião da abertura da sua fábrica nas "CALDAS DA RAINHA")  in  RESTOS DE COLECÇÃO
Largo Rafael Bordalo Pinheiro  -  (1884)  -  (Título de uma "ACÇÃO" da fábrica de Faianças das Caldas da Rainha em 1884)  in  RESTOS DE COLECÇÃO


(CONTINUAÇÃO) - LARGO RAFAEL BORDALO PINHEIRO  [ VI ]

«RAFAEL BORDALO PINHEIRO ( 1 )»

Existem famílias que parecem ter nascido com uma certa predestinação. Ou seja: todos ou a maioria dos seus membros (familiares) revelam excepcionais aptidões para as "ARTES E OFÍCIOS" a que se dedicam.
Assim na centúria de 1800, com repercussões na seguinte, uma família lisboeta conseguia a proeza de que praticamente todos os que dela faziam parte deixavam obra.
«MANUEL MARIA BORDALO PINHEIRO (1815-1880) seria o patriarca desta clã de gente célebre. Embora oficialmente a sua profissão fosse a de primeiro oficial da secretaria da "CÂMARA DOS PARES", a verdade é que ficou conhecido como pintor, escultor e gravador, com obra vasta e dispersa, que vai da Ilustração em Jornais até bustos de vultos históricos, passando pelos trajes e figurinos dos teatros do "SÃO CARLOS" e "DONA MARIA II" por ele desenhados durante longo tempo.
Depois dele, vem "MARIA AUGUSTA", "RAFAEL", "COLUMBANO" e "MANUEL GUSTAVO", qualquer deles brilhantes nos trabalhos artísticos a que se dedicaram.

"RAFAEL AUGUSTO PROSTES BORDALO PINHEIRO (21.03.1846-23.01.1905) é o terceiro filho de "MANUEL MARIA BORDALO PINHEIRO" e de "MARIA AUGUSTA PROSTES. O artista era lisboeta "dos quatro costados". Nasceu num modesto prédio da "RUA DA FÉ" ( ver mais aqui...) (antiga freguesia de SÃO JOSÉ, hoje "SANTO ANTÓNIO"), com o actual número 47,  edifício que pertencia ao seu avô paterno, o advogado "MANUEL FÉLIX DE OLIVEIRA PINHEIRO" (que foi o primeiro presidente da "Associação dos Advogados de LISBOA) onde então habitavam os pais. 
( Uma confusão do escritor "JÚLIO CÉSAR MACHADO" fez que, durante algum tempo, se atribuísse a outra a outra casa bem próxima, na "RUA DE SÃO JOSÉ", a localização do quarto onde o artista tinha vindo à luz pela primeira vez).
Entre os vários locais onde habitou e teve "ATELIER", será de dar relevo à "VILA ou PÁTIO MARTEL", na "RUA DAS TAIPAS" com o número 55.  Nesse recanto, mandou o proprietário ( um homem culto e dado às artes, "JOSÉ TRIGUEIROS DE MARTEL"  arranjar  alguns "atelieres" para artistas.
Deles aproveitaram três dos irmãos BORDALO PINHEIRO. Assim, "MARIA AUGUSTA" montou ali a sua oficina-escola de rendas artísticas. "COLUMBANO" expôs lá o seu primeiro quadro premiado no "SALÃO DE PARIS", o célebre «CONCERTO DE AMADORES».  "RAFAEL" levou lá acabo as suas primeiras experiências de cerâmica, antes de se decidir a  tomar conta da direcção artística da "FÁBRICA DAS CALDAS DA RAINHA", propriedade de um irmão "FELICIANO".

Durante parte da sua vida, "RAFAEL" morou na casa em que acabaria por falecer, situada no "LARGO DA ABEGOARIA", que hoje tem o seu nome; "LARGO RAFAEL BORDALO PINHEIRO", entre o CARMO e a TRINDADE, onde o artista viveu desde 1883 até 1905, ano da sua morte. 

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«LARGO RAFAEL BORDALO PINHEIRO[ VIII ]RAFAEL BORDALO PINHEIRO ( 2)»

Enviar um comentário