domingo, 19 de julho de 2009

PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XI]

Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2008) - Foto de APS - A Praça do ROSSIO com o seu monumento a D. Pedro IV) ARQUIVO/APS
Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2009) -(Um pormenor do Monumento a D. Pedro IV no Rossio) - Foto gentilmente cedida por Rafael Santos do BLOG «DIÁRIO DO TRIPULANTE»

Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (2009) -(Monumento a D. Pedro IV no ROSSIO) - Foto gentilmente cedida por Rafael Santos do BLOG «DIÁRIO DO TRIPULANTE»




Praça D. Pedro IV (ROSSIO) - (Depois de 1919) Foto de Paulo Guedes (Praça D. Pedro IV panorâmica) in AFML
(CONTINUAÇÃO)
PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XI]
«ESTÁTUA A D. PEDRO IV (2)»
Uma das lendas lisboetas a que urge pôr fim (porque em nada nos honra) é a pretensa substituição da estátua, segundo a qual teríamos sido vigarizados.
De facto, há muitos anos que alguém inventou a história de que a estátua que vemos no ROSSIO não representa de facto «D. PEDRO IV», mas, sim, o Imperador «MAXIMILIANO» do México.
A escultura deste Imperador teria sido encomendada e depois rejeitada pelos mexicanos, logo que o Imperador foi destituído. Os autores tê-la-iam então impingido a Lisboa como sendo o nosso soberano, e nós, "pacóvios", comeríamos "gato por lebre".
Ora, o certo é que, para a execução do monumento. foi aberto concurso internacional com 87 projectos. Mesmo que os portugueses fossem todos parvos, custa a crer que nenhum dos outros concorrentes dessem pela marosca e não protestassem.
Mas não se fica a argumentação por aí: o jornalista e escritor «ROCHA MARTINS» provou que as feições da escultura do Rossio, as medidas, a concepção, o desenho, tudo correspondia exactamente ao projecto apresentado pelos artistas franceses que ganharam o concurso.
Entretanto, a tecnologia evoluiu e as teleobjectivas permitem hoje fotografar «D. PEDRO IV», lá no alto do pedestal e bastará comparar o resultado com o original e as gravuras da época para se concluir que é mesmo o rei-soldado quem está lá em cima.
A recente limpeza feita à estátua veio ainda demonstrar que até os botões da farda envergada pelo rei têm o escudo português.
Mas a lenda patética do «MAXIMILIANO» continua espalhada por aí, até por gente com responsabilidades... Muito gostamos nós de nos amesquinharmos...
A estátua passou a ser ladeada no ano de 1889 por dois monumentais lagos de pedra, com as figuras de ferro bronzeado, fundidas em «VAL d'OSNE», França, em substituição de dois poços que existiam no mesmo local desde o ano de 1837.
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «PRAÇA D. PEDRO IV (ROSSIO) [XII] - ALGUNS ESTABELECIMENTOS DO ROSSIO (1)»

8 comentários:

César Ramos disse...

Caríssimo APS,

Extraordinária investigação desenvolvida com a prova provada e,
irrefutável! Os meus PARABÉNS!...

Em tempo, chamaram ao pedestal de 'galheteiro' mas, graças a si, lá veio a verdade - como o azeite -ao de cima...

Dizer-lhe OBRIGADO, é escasso. Se me permitir, serei arauto deste notável trabalho, pois nem só os boatos reles e mesquinhos terão de correr céleres, quais metásteses cancerígenas!...

Só a Verdade tem o direito de triunfar (...)

Um abraço cheio de portugalidade, do
César

Presépio no Canal disse...

O pormenor dos botões da farda está o máximo!

Grata também pela investigação :)

Rafael Santos disse...

E ao que parece as 4 estátuas que a rodeiam representam as 4 forças que eram atribuidas ao rei, ouvi algures num documentário sobre Lisboa

Abraço e continuação de boas investigações

Luisa Moreira disse...

Que bom investigar para nos poder esclarecer, Obrigada!

Um Abraço

César Ramos disse...

A
Presépio no Canal,

(...) mais não fosse...esse pormenor dos botões da farda, levaram-me à prova provada!

Não fui da 'costura', mas para ex- militar, estas coisas do 'atavio' são elementares e concludentes!

Irei lá 'bater' uma foto c/zoom, graças a Mr. APS!...

[p'rós que 'sabem' tudo!]...

I send a big 'Kiss' to your Cat, from my 'pussy cat' MICHA!!... que é medrosa que se farta!... é uma 'menina' muito prendada(...)

Os "autores" da estátua do «Maximiliano» também nos saíram umas ricas 'prendas'!(...)

C.R.

Iberista disse...

Se o pedestal não fosse tão talvez este mito urbano nunca tivesse tido "pernas para andar". Aliás, o tamanho do pedestal é a única crítica que eu faço ao monumento. É desproporcionado face ao tamanho da estátua, o que é uma pena, pois assim nem a podemos apreciar devidamente.
Continuação de um bom trabalho, caro APS

APS disse...

A todos o meu muito obrigado pelas palavras de incentivo!

Um abraço
APS

vfmcca disse...

Parabéns pelo seu trabalho. A historia da estátua de D Pedro IV, assustou-me mas ao final do artigo, tranqüilizei-me uma vez que até os botões da farda de D Pedro têm o escudo Português.
Apreciei a frase "... Muito gostamos nós de nos amesquinharmos..." nada tão verdadeiro nos dias em que vivemos. Luis Torres dos Santos