domingo, 13 de setembro de 2009

CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA [ I ]

Campo dos Mártires da Pátria - (2009) - (Panorâmica do Campo dos Mártires da Pátria) in WIKIMAPIA
Campo dos Mártires da Pátria - (1939) Foto de Eduardo Portugal (Chafariz do Campo dos Mártires da Pátria) in AFML

Campo dos Mártires da Pátria - (Atlas da Carta Topográfica de Lisboa - sob a direcção de Filipe Folque: 1856-1858 - Planta Número 28 - Campo de Santana (Vendo-se na parte Sul o recinto da Praça de Touros depois ocupado pela Escola Médica in CML - Departamento de Património Cultural - Arquivo Municipal de Lisboa


Campo dos Mártires da Pátria - (1812) (Campo de Santana e a Carreira dos Cavalos) -Trecho do «Mapa da Cidade de Lisboa e Belém em 1812» in LISBOA REVISTA MUNICIPAL Nº 11 - 1º Trimestre de 1985 página 50 - Edição da C.M.L.
«CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA [ I ]»
(CAMPO DO CURRAL) e (CAMPO DE SANTANA)
Pertence à freguesia da «PENA» e fica entre: «LARGO DO MITELO, LARGO DO MASTRO, RUA GOMES FREIRE, TRAVESSA DE JOSÉ VAZ DE CARVALHO, ALAMEDA DE SANTO ANTÓNIO DOS CAPUCHOS, CALÇADA DO MOINHO, RUA DO INSTITUTO BACTERIOLÓGICO (antiga RUA DO CONVENTO DE SANTA ANA) e RUA MANUEL BENTO DE SOUSA.
Antigo «CAMPO DO CURRAL», depois de 1755 «CAMPO DE SANTANA», e por edital de 11 de Julho de 1879 passou a chamar-se «CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA».(ver mais aqui)
Este local de grandes tradições na vida citadina era uma das zonas animadas da cidade. No antigo «CAMPO DO CURRAL», assim denominado por ser local de venda de gado e abate, embora o sítio seja "lavado de ares", o Matadouro do Campo do Curral, que seria mais tarde o de Santana, incomodava a vizinhança com o cheiro das imundices das rezes abatidas.
Já «D. SEBASTIÃO» tinha assinado uma provisão no sentido de melhorar o estado sanitário do local, pensando mesmo na transferência do curral.
No ano de 1767 ali bem perto existia uma «PRAÇA DE TOUROS» que seria depois muito famosa, onde eram apresentados também alguns espectáculos de ginástica e acrobacias. Presume-se que estivesse em ruínas ou mesmo desaparecido a Praça porque, em 1828, «JOSÉ MARIA PIMENTEL BETTENCOURT» requereu para mandar construir outra no sítio (1).
Existiu um chafariz no «CAMPO DE SANTANA», inaugurado no ano de 1795. Era alimentado pela galeria de Santana proveniente do Aqueduto das Águas Livres de Lisboa. Acabou por ser demolido no segundo quartel do século XX.
No ano de 1818 arrumavam-se no «CAMPO DE SANTANA», as forcas a que iriam subir os patriotas que tinham conspirado contra a Regência e também contra o Marechal «BERESFORD», Comandante do Exército Português.
A chamada «FEIRA DA LADRA» em 1823 foi transferida para o «CAMPO DE SANTANA», onde esteve apenas três meses, voltando novamente para a «PRAÇA DA ALEGRIA». No ano de 1835 regressa ao «CAMPO DE SANTANA», onde se conservou até 1882.
Este lugar passou a ser designado «CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA» e ainda perdura no dístico Municipal, muito embora existam pessoas que lhe chamem «CAMPO SANTANA».
(1) - TINOP - Lisboa de outros tempos página 232
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA [II] - CAMPO DE SANTANA (1)»


15 comentários:

Marcia Faria disse...

Olá sr.Agostinho,aqui no Rio no centro da cidade, existi um Campo de Santana, que já foi da Aclamação,da Regeneração e da Liberdade.Nesse mesmo campo existiu também um chafariz de 1818 já demolido.Se procurar no google vai achar algumas semelhanças...

Um abraço, uma ótima semana!!!

Ti Maria Benta disse...

Parabéns! Gostei muito do seu trabalho de investigação sobre as belíssimas ruas de Lisboa. Ficarei atenta à segunda parte do seu artigo.

divagarde disse...

Campo dos Mártires da Pátria...

torna-se tão comum escutar e pronunciar a toponímia a que nos habituámos, que ficamos, frequentemente, indiferentes ao seu significado. Tratando-se de uma identidade concreta, questionamo-nos... quem foi? o que fez? e procuramos informação. Mas, quando a designação engloba um conjunto [mártires da Pátria, neste caso], é tão fácil esquecermos de nos perguntarmos de que mártires se tratam.

Para lá disso, de tanto fazermos os lugares, pisamos a calçada tão distraídos, esquecendo quanta História e estórias as pedras sussurram.

Excelente informação. Fico curiosa do próximo capítulo :)

cumprimentos.

APS disse...

Cara Marcia Faria

Realmente a história dos dois Campos são muito parecidas.
O Campo Santana (Português) derivou do nome de um Convento de Religiosas.
O Campo Santana (Brasileiro) derivou da edificação da Igreja Nossa Senhora de Santana.
E tal como o nosso "Campo" o vosso também mudou de nome, são os actos do progresso.

Um abraço
APS

APS disse...

Cara Ti Maria Benta

Bem-vinda a este blogue.
Agradeço reconhecidamente as suas amáveis palavras ao meu blogue.

Felicito também o seu blogue, que me surpreendeu.
Eu conto a história das RUAS e seu envolvente.
Você conta a história do FADO e seus interpretes.
Quanto à continuidade deste desenlace, (Campo dos Mártires da Pátria), só tem doze capítulos.

Cumpts
APS

APS disse...

Cara DIVAGARDE

No Campo de Santana foram executados a 18 de Outubro de 1817, onze "conspiradores" ao Governo Português, que era chefiado pelo Marechal inglês «BERESFORD», tendo como cabeça de "lista" o general «GOMES FREIRE DE ANDRADE».
Dai a razão porque mais tarde (depois de reabilitados) foi chamado de «CAMPO DOS MÁRTIRES DA PÁTRIA».
Quem foi? O que fez?
Isso nos próximos "Posts" poderão surgir novidades (ou não), conforme a formação histórica de cada um.

Tem razão quanto aos lugares que pisamos distraidamente. Por vezes eles encerram tanta história que nos sentimos "pequenos" ao divulgá-la.

Cumprimentos
APS

Luisa Moreira disse...

Meu caro,

Continua a ser um óptimo cicerone muito bem documentado!

Obrigada pelo passeio, com todos os pormenores.

Abraço

José Quintela Soares disse...

Mais um excelente texto.
Desconhecia, por completo, que a Feira da Ladra alguma vez tivesse decorrido naquele lugar.

Obrigado.

APS disse...

Cara Luísa Moreira

Agradeço a sua visita a este blogue, depois do seu regresso de férias.

Espero continuar a merecer os seus comentários.

Cumpts
APS

APS disse...

Caro José Quintela Soares

É verdade estamos sempre a ser surpreendidos.

Tenho já elaborado um "Post" [XII] sobre a «FEIRA DA LADRA» no Campo de Santana, que será o remate deste CAMPO.

Obrigado pela sua visita.

Cumpts
APS

Patti disse...

Este tema trás-me uma nostalgia enorme, pois foi aí bem perto, na Rua Paço da Rainha que frequentei a minha primeira escola primária.
Ia todos os dias a pé, durante 5 anos, desde a Duque de Loulé até ao Paço da Rainha, pela mão do meu pai a ouvir histórias de aventuras.

APS disse...

Cara Patti

Tirando as tristes recordações dos executados, temos de admitir que este espaço é muito bonito, além de conter muita história.
O «PAÇO DA BEMPOSTA» e seu «LARGO DO PAÇO DA RAINHA», o «HOSPITAL DE D. ESTEFANIA», o «CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DOS CAPUCHOS», o «ASILO DA MENDICIDADE» e outros, não são mencionados embora não deixem de merecer a minha aprovação histórica, fica para outra ocasião.
Volte sempre!
Cumpts
APS

Lisboeta disse...

sou moradora do campo mártires da pátria, vou devorar com interesse estas informações.
Obrigada

APS disse...

Cara Lisboeta

Agradecido por ter gostado do meu blogue, espero lhe agrade até ao final.

Cumpts
APS

Filomena Barata disse...

Muito obrigada pela informação..