quarta-feira, 27 de julho de 2011

CALÇADA DAS LAJES [ VI ]

Calçada das Lajes - (2005) (Muro e Portão do "CEMITÉRIO DOS ISRAELITAS", visto da antiga "Quinta do Coxo) in ARQUIVO/APS
Calçada das Lajes - (2010) (Local de convergência da "CALÇADA DAS LAJES" com a "AVENIDA D.AFONSO III", ao lado direito podemos ver parte do "CEMITÉRIO DOS ISRAELITAS". A antiga casa do posto de fiscalização já não existe) in GOOGLE EARTH

Calçada das Lajes - (2010) Panorama de: "Avenida D. Afonso III" em curva para a esquerda, a velha "Calçada das Lajes" quase a desaparecer, no lado esquerdo junto da curva, uma parte do "CEMITÉRIO DOS JUDEUS" na "Quinta dos Apóstolos", e a "Quinta do Coxo" já com bastante construção nova) in GOOGLE EARTH
Calçada das Lajes - (1967) Foto de João H. Goulart (Muro de suporte ao "CEMITÉRIO DOS JUDEUS" na Avenida D. Afonso III, antiga Estrada da Circunvalação) in AFML
Calçada das Lajes - (1966)? Foto de Augusto de Jesus Fernandes (Avenida D. Afonso III, ao lado esquerdo o muro do "CEMITÉRIO DOS JUDEUS", no lado direito o edifício que serviu durante anos de posto de fiscalização da entrada de mercadorias em LISBOA, com entrada para a Calçada das Lajes) in AFML

(CONTINUAÇÃO) - CALÇADA DAS LAJES [ VI ]

«CEMITÉRIO DOS JUDEUS»

O «CEMITÉRIO DOS JUDEUS ou ISRAELITAS» fica junto à confluência da antiga «ESTRADA DA CIRCUNVALAÇÃO» (hoje "AVENIDA D. AFONSO III") e a «CALÇADA DAS LAJES», numa parcela de terreno adquirida da "QUINTA DOS APÓSTOLOS". Encontra-se à nossa direita (quem se dirige para norte), no número 44 da actual «AVENIDA D. AFONSO III».

Os primeiros grupos de Judeus chegados ao nosso país, procuraram logo organizar-se, criando salas de oração e adquiriram terrenos para enterrar os seus mortos, segundo o ritual Judaico. A primeira sepultura é de «JOSÉ AMZALAK», falecido a 26 de Fevereiro de 1804 e enterrado num terreno pertencente ao «CEMITÉRIO INGLÊS» na ESTRELA, sem dúvida devido à nacionalidade inglesa será dos primeiros JUDEUS em LISBOA, originários de «GIBRALTAR».

Nessa altura os JUDEUS ainda eram considerados como uma Colónia estrangeira e a comunidade ainda não tinha existência legal. A "Carta Constitucional" de 1826 reconhecia apenas o catolicismo como a única religião permitida aos cidadãos portugueses, remetendo os outros cultos para os estrangeiros. O primeiro passo para o reconhecimento oficial da «COMUNIDADE ISRAELITA DE LISBOA» data de 1868, altura em que é concedida pelo Governo uma licença, através de um alvará de «D. LUÍS I», dando "aos Judeus de Lisboa a permissão de instalar um Cemitério para a inumação dos seus correligionários".

Sabe-se que entre 1804 e 1948 existiu um «CEMITÉRIO JUDEU» na esquina sudoeste do «CEMITÉRIO INGLÊS», na «RUA DA ESTRELA». As campas de Judeus que lá existiam foram transferidas em 1949, para o contíguo, da «RUA NOVA DA ESTRELA», onde existiam 146 campas, pelo que passaram a ser 151.

O actual «CEMITÉRIO DOS JUDEUS», da «CALÇADA DAS LAJES», na «AVENIDA D. AFONSO III», foi comprado em 1865, e é hoje o «CAMPO SANTO» mantido em condições muito apreciáveis.

(CONTINUA) - (PRÓXIMO)- «CALÇADA DAS LAJES [ VII ] - QUINTA DO ROMA ( 1 )».

1 comentário:

GEOGRAFIA DO LIVRO DE MÓRMON disse...

O CEMITÉRIO DA ESTRELA , NO BRASIL, ESTÁ LOCALIZADO NA CIDADE DE ESTRELA DO INDAIÁ, NO ESTADO DE MINAS GERAIS, SENDO FUNDADO POR ANTONIO DE SOUZA FERNANDES E MANUEL JOAQUIM DE ALMEIDA PALHANO.