domingo, 7 de junho de 2009

PRAÇA LUÍS DE CAMÕES [VII]

Praça Luís de Camões - (s/d) - Fotógrafo não identificado (Túmulo de Camões no Mosteiro dos Jerónimos) in BAIXAKI
Praça Luís de Camões - (2008) - Foto de António Conceição Júnior (Túmulo de Camões) in ARSCIVES

Praça Luís de Camões - (s/d) - Fotógrafo não identificado (Túmulo de Camões, no Mosteiro dos Jerónimos) in TRASOSMONTES
(CONTINUAÇÃO)
PRAÇA LUÍS DE CAMÕES [VII]
«TÚMULO DE CAMÕES»
«LUÍS DE CAMÕES» foi enterrado inicialmente na Igreja do Convento de Sant'Ana. Passados quinze anos, já custou aos amigos do poeta encontrar o corpo.
D. Gonçalo Coutinho mandou colocar uma lápide, onde fez gravar singela inscrição em português, seguida de outra em Latim de Martim Gonçalves da Câmara. Em 1729, as freiras quiseram acrescentar e mudar o coro, o qual foi colocada uma porta no coro baixo da Igreja, tapando-se para isso a porta principal, que se cobriu com um altar.
Debaixo do novo coro parece ter ficado a sepultura de Camões.
Uma comissão nomeada após a morte de Garrett (1854) para averiguar da sepultura do épico, assegura ter encontrado os ossos de Camões: fez-se um breve relatório, mas os desenhos que o acompanharam extraviaram-se. Os restos do poeta ficaram, desde 1856, depositados no altar do coro do dito Convento de Sant'Ana.
Em 1880, terceiro centenário da morte de Camões, um movimento Nacional promoveu a transladação dos ossos de Camões e de Vasco da Gama para o Mosteiro de Santa Maria de Belém. Em 10.06.1880, duas galeotas transportavam em grande cortejo marítimo, desde o Terreiro do Paço até Belém as arcas tumulares com os restos mortais dos dois grandes vultos da nossa história. Ficando lado a lado na capela colateral do topo Sul do transepto.
Um legado de Simão José Luz Soriano (historiador e ilustre casapiano) forneceu os meios para se lhes construir os dois túmulos em pedra lioz calcária, em 1894.
Os túmulos foram construídos nas oficinas de José Correia e irmão; o primeiro risco foi delineado pelo Arquitecto Rafael da Silva Castro; subordinando-se a execução ao projecto elaborado pelo escultor António Augusto da Costa Mota.
Em 1940, os dois túmulos foram transferidos para o sub-coro, onde se encontram (1).
Para os mais interessados em assuntos «CAMONIANOS», existe um estudo "Sobre o local da morte e enterramento de Camões, na Ermida do Convento de Santa'Ana», pelo Dr. João de Freitas e desenvolvido pelo Engenheiro Augusto Vieira da Silva no seu livro «DISPERSOS» volume II páginas 269 a 277.
(1) - Dicionário da História de Lisboa - Direcção de Francisco Santana e Eduardo Sucena - Lisboa - 1994 Pág. 205 e 206.
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «PRAÇA LUÍS DE CAMÕES [VIII] - PARQUE DE ESTACIONAMENTO SUBTERRÂNEO».

Enviar um comentário