quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

RUA DA PALMA [ III ]

«A RUA DA PALMA ( 2 ) »
 Rua da Palma - (1987) - A. Vieira da Silva - Mapa - (Das Portas da Mouraria ao Postigo da Graça - MAPA II - Podemos observar a existência do início da RUA DA PALMA - junto da Porta da Rua da Palma - a artéria continuava com a RUA NOVA DA PALMA que, para tal, foi demolida a "ERMIDA DE Nª. Sª. DA GUIA. Sendo considerado este o primeiro troço da "RUA DA PALMA").  in A CERCA FERNANDINA DE LISBOA - VOLUME I
 Rua da Palma - (2016) - (Panorama da "RUA DA PALMA" no cruzamento da "RUA DE SÃO LÁZARO" e a "RUA FERNANDES DA FONSECA" antigo "SOCORRO") in  GOOGLE EARTH
 Rua da Palma -(19--) Foto de Alberto Carlos Lino - (Armazém Chinês Estabelecimento de "J. J. da Cunha" na RUA DA PALMA)  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)   in    AML 
 Rua da Palma - (191-) Foto de Joshua Benoile - (A "Ourivesaria de ABEL MARTINS & Cª.", antiga "CASA MOURÃO" na RUA DA PALMA)  (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 
 Rua da Palma - (c. de 1946) Foto de Judah Benoliel - (A MOURARIA antes da demolição: 1ª transversal, RUA DA MOURARIA; 2ª. transversal, RUA DA PALMA; 3ª. transversal, RUA DAS  ATAFONAS; 4ª. transversal, RUA DO SOCORRO, ao fundo, a CALÇADA DO JOGO DA PÉLA) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 
Rua da Palma (195-) - Foto de Judh Benoliel - (A "RUA DA PALMA" na época das sapatarias e ourivesarias construídas em madeira pela firma "Sociedade de Construções Amadeu Gaudêncio,Lda) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in   AML 

(CONTINUAÇÃO) - RUA DA PALMA [ III ]

«A RUA DA PALMA ( 2 ) »

Em meados do século XVI foi aberta uma porta no troço da MURALHA DA CERCA FERNANDINA, a que deram o nome de "PORTA DA RUA DA PALMA" ou POSTIGO à "RUA NOVA DA PALMA, que se abriu ao "JOGO DA PÉLA", ou POSTIGO NOVO. (VER MAPA II - DAS PORTAS DA MOURARIA AO POSTIGO DO ARCO DA GRAÇA).
Ficava situado no ponto onde sensivelmente existe a "RUA DA PALMA e se cruza com a "TRAVESSA DA PALMA". Foi aberto pelo motivo de se ter rasgado, pela mesma ocasião, a "RUA NOVA DA PALMA", do lado intramuros, e estabelecida a comunicação desta com o sítio do "JOGO DA PÉLA", extramuros. Pensa-se que serviu uma simples abertura na MURALHA, em que se colocaram portas de madeira, com a indicação por cima, em 1712 e em 1750, " uma aceada capela de invocação a Nossa Senhora do Rosário".  Está representada na revista OLISSIPPO de THEATRUM URBIUM, de JORGE BRÁUNIO (1596); foi demolida depois do Terramoto de 1755 e dela não restam vestígios.

No século XVI possuía o "CONVENTO DE SÃO VICENTE DE FORA" uma grande horta intramuros; "com assentamento de casas, poço, nora e chão de sequeiro, dentro dos muros debaixo da porta de "SÃO VICENTE", junto ao MOSTEIRO DE SÃO DOMINGOS", no sítio da "RUA DOS CANOS" e "RUA DA PALMA", onde existiam 18 moradas de casas, que o CONVENTO aforou em 28 de Novembro de 1524 a um FERNÃO DIAS e sua mulher, avós de FRANCISCA COELHA, casada com um "JOÃO PALMA", Cavaleiro fidalgo da CASA DE EL-REI, que em 1554 estavam senhores da horta.
O MOSTEIRO DE SÃO VICENTE, querendo tirar maior rendimento da horta, e fazer nela mais trinta casas, modificou em 10 de Outubro de 1554 o seu contrato com o "enfiteuta" (foreiro), modificação também aceite pela mulher em 30 do mesmo mês, pelo que estes ficaram obrigados, sob certas condições, a fazer "uma rua pelo meio da horta com 15 palmos (3,3 metros) de largura, desde o MOSTEIRO DE SÃO DOMINGOS até à rua que passava entre o muro da cidade e as casas que eles tinham" ( 1 ), rua representada actualmente (1948) pelo começo inferior da "TRAVESSA DA PALMA".

Foi pois nos terrenos dessa horta do MOSTEIRO que em meados do século XVI se rasgou, paralelamente à "RUA DOS CANOS", intramuros, a RUA de que é representante a "RUA DA PALMA", entre as traseiras da IGREJA DE SÃO DOMINGOS e o actual LARGO MARTIM MONIZ.  Outras denominações existiram para a RUA DA PALMA. Quando se construiu a RUA , e simultaneamente se abriu o postigo no seu topo, que defrontava então a MURALHA DA CERCA, a RUA começou por não ter nome, e para referência designavam-na simplesmente por "RUA DA PORTA NOVA". Mas esta denominação, ou designação da RUA , deve ter durado muito pouco tempo, talvez mesmo apenas uns meses, porque como nela tinha casa sua, onde morava, o Cavaleiro JOÃO PALMA, ao lado de outra também sua valiosa propriedade que alugara, assim como os terrenos da horta em que a RUA havia sido rasgada, passaram a apelidar à Nova RUA o nome desse importante proprietário; mas, por ser ela de nome feminino, o povo mudou para "RUA NOVA DA PALMA".
- ( 1 ) - MOSTEIRO DE SÃO VICENTE, Livro B, arm. 48, Nº 37, fls. 15 a 23V.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUA DA PALMA [ IV ] A RUA DA PALMA ( 3 ) »    
Enviar um comentário