sábado, 8 de julho de 2017

RUA ALFREDO DA SILVA [ XI ]

«ALFREDO DA SILVA  E A  C.C.F.L. ( 1 )»
 Rua Alfredo da Silva - (189...) (Prova em albumina) - ("CARRO AMERICANO" na "PRAÇA D. PEDRO IV -vulgo ROSSIO- frente ao TEATRO NACIONAL)  (Abre em tamanho grande)  in  AML
 Rua Alfredo da Silva - (finais do século XIX) Foto de Eduardo Portugal  - ( Os "CARROS AMERICANOS" de tracção animal sobre carris, passando na "PRAÇA DO COMÉRCIO") (Abre em tamanho grande)   in   AML 
 Rua Alfredo da Silva - (Finais do Século XIX) Fotografo não identificado, Colecção de Eduardo Portugal  -  (O "CHORA" transporte público de tracção animal e de baixo preço, cheio de passageiros com destino a BELÉM, fazendo publicidade à Sapataria Cintra da Rua de São Paulo)  in   AML
 Rua Alfredo da Silva - (depois de 1873)  -  (Um dos primeiros "CARROS AMERICANOS" a circular em LISBOA, retirados da circulação em 1905 embora desde 1901 alguns carros fossem adaptados para servir de atrelados aos Eléctricos)   in  LISBOA 125 ANOS SOBRE CARRIS
 Rua Alfredo da Silva - (1882) -Gravador J. Novaes  -  (Os "CARROS RIPPERT" que possuíam as carruagens cujos eixos tinham a mesma largura "bitola" usada pelos "CARROS AMERICANOS" "1,435m", teimavam em utilizar as linhas da CARRIS. A polémica só foi resolvida quando a CARRIS alterou a sua "bitola" para  "0,90m", depois usada pelos "CARROS ELÉCTRICOS")  in   LISBOA DE ALFREDO MESQUITA
 Rua Alfredo da Silva - (séc. XIX) Gravador J. Novaes  -  (Os "CARROS DE JOSÉ FLORINDO", veículos de menores dimensões e preço mais acessível)   in  LISBOA DE ALFREDO MESQUITA
 Rua Alfredo Silva - (1901) -31 de Agosto de 1901  -  (Abertura da primeira linha electrificada da CARRIS, entre a PRAÇA DO COMÉRCIO e ALGÉS, quando "ALFREDO DA SILVA" era um dos seus directores)      in  LISBOA 125 ANOS SOBRE CARRIS
 Rua Alfredo da Silva - (depois de 1901) Gravador J. Novaes  -  ( "ELÉCTRICO DA CARRIS" com destino a BELÉM, passando no ATERRO, "mais tarde a RUA,  depois AVENIDA 24 de Julho")   in    LISBOA DE ALFREDO MESQUITA
Rua Alfredo da Silva - (Início da primeira década do século XX)  -  ("CARRO ELÉCTRICO" da CARRIS com bandeira para BELÉM. Os resultados da Carris foram notáveis e o povo passou a gostar dos eléctricos da sua cidade)   in   LISBOA DE ALFREDO MESQUITA

(CONTINUAÇÃO) - RUA ALFREDO DA SILVA [ XI ]

«ALFREDO DA SILVA E A  C.C.F.L.  ( 1 )»

Um contracto de 28 de Março de 1892 com a CML concedeu-lhe grandes privilégios, devido a 30 acções que detinha na CARRIS, tendo-se mesmo falado na detenção de um monopólio virtual dos transportes públicos por tracção animal na cidade de LISBOA.
Cedo "ALFREDO DA SILVA" começou a frequentar as assembleias Gerais da empresa, das quais, pelos Estatutos, fazia parte dos accionistas possuidor de dez ou mais acções do capital social. Essa presença ficou bem marcada desde o início, daí resultando o convite para a sua deslocação ao estrangeiro com o objectivo de estudar os processos relativos à mecânica e aconselhar qual deles poderia ser adoptado em LISBOA com maior vantagem, o que, para espanto de muitos, aceitou e gratuitamente.
Não demorou muito tempo a apresentar dados com vista à adaptação das suas ideias à realidade local.
A desenvoltura de "ALFREDO DA SILVA", e a sua vontade de vencer conduziram-no mais longe, sendo então eleito como Director de C.C.F.L. em 15 de Novembro de 1895.
ALFREDO DA SILVA altera grande parte dos planos da administração em funções na sua Direcção. Necessitava agora de trabalhar em várias frentes com vista à monopolização do ramo. Progressivamente, foram sendo eliminadas as companhias concorrentes. Para tal contribuiu um contracto estabelecido, mais uma vez. entre a C.M.L. e a C.C.F.L.. Datado de 5 de Junho de 1897, e assinado por ALFREDO DA SILVA e CARLOS KRUS (outro Director), na presença do presidente do Município « ZÓFINO GOMES DA SILVA», visava autorizar a "substituição do actual sistema de tracção nas linhas da Companhia pela tracção eléctrica", sendo este segundo o Relatório de 1897 (no qual ALFREDO DA SILVA surge como accionista Nº. 9, detentor de 50 acções). Neste sentido era dado licença pela C.M.L. para a colocação de postes na via pública em todas as RUAS que tenham suficiente largura para que se não tornem incomodativos para o livre transito.
No dia seguinte, a 16 de Agosto, a Direcção de ALFREDO DA SILVA dava outro passo importante para a vida da empresa, ao obter a exclusividade de utilização da rede eléctrica nas zonas que já explorava.  Devido ao escasso financiamento da firma, a Direcção decidiu em 02.02.1899 recorrer a uma firma estrangeira, a inglesa "WERNHER, BEIT & Ca.",  para cumprir o encargo a partir de 7 de Julho seguinte. Passados dias esta cedia à LISBON ELECTRIC TRAMWAYS, LTD., todos esses direitos e obrigações. A C.C.F.L. tirou bastante proveito com estas alterações, os quais vieram a ter a maioria das 500.000 acções ordinárias, chegando HENRIQUE BURNAY e ALFREDO DA SILVA, a serem directores da "LISBON ELECTRIC TRAMWAYS LTD.".

Os transportes públicos de tracção animal mais utilizados no século XIX e que alguns sobreviveram até à segunda década do século XX, foram: o "CHORA", "FLORENTINO", SIMPLÍCIO", EDUARDO JORGE", "SALAZAR", "LUSITANA" e "JACINTO". Eram mais concorridos que os carros "AMERICANOS" por praticar preços mais económicos e assegurarem as viagens entre a "MOURARIA"  o "LARGO DO INTENDENTE" e "BELÉM". Durante um longo período fizeram parte do cenário característico da cidade de LISBOA, principalmente da "RUA DA PALMA", por onde passavam regularmente.

A linha de "CAMINHOS DE FERRO AMERICANO", de tracção animal e "TRANVIAS" sobre carris com percurso entre o "ROSSIO" e "BELÉM", foi inaugurada a 6 de Fevereiro de 1873. Particularmente concorrida aos DOMINGOS, os CARROS AMERICANOS viam-se bastante assediados nos tempos de Verão, em virtude dos grandes pólos de atracção que eram as PRAIAS e a "FEIRA DE SETEMBRO", que se realizava no Largo fronteiro ao "MOSTEIRO DOS JERÓNIMOS".
Como o trajecto se fazia junto ao mar, à componente lúdica da viagem, juntava-se, então, uma forte componente turística, tão do agrado dos seus passageiros.

(CONTINUA)-(PRÓXIMA)«RUA ALFREDO DA SILVA [ XII ]-ALFREDO DA SILVA  e a C.C.F.L. ( 2 )». 

Enviar um comentário