sábado, 19 de junho de 2010

RUA DO POÇO DOS NEGROS [ I ]

Rua do Poço dos Negros - (2008) Foto de Madama Musique (Placa toponímica da Rua do Poço dos Negros) in THE MOOD FOR FEEL
Rua do Poço dos Negros - (s/d) Fotógrafo não identificado (Um troço da Rua do Poço dos Negros) in MUSEU DA CIDADE

Rua do Poço dos Negros - (Entre 1898 e 1908) Fotógrafo não identificado (A Rua do Poço dos Negros na transição para o século XX) in AFML


Rua Poço dos Negros - (2010) Desenho de APS (Artérias envolventes à RUA DO POÇO DOS NEGROS).
-
RUA DO POÇO DOS NEGROS [ I ]
-
«A RUA DO POÇO DOS NEGROS ( 1 )»
-
A «RUA DO POÇO DOS NEGROS» pertence a duas freguesias. À freguesia de «SANTA CATARINA» pertencem os números 1 a 103 e todos os números pares. À freguesia de «SÃO PAULO» do número 105 em diante.
Começa no «LARGO DR. ANTÓNIO DE SOUSA DE MACEDO»( 1 ) (antigo "LARGO DO POÇO NOVO) e termina na «AVENIDA D. CARLOS I» (antiga Avenida Presidente Wilson e Avenida das Cortes).
São confinantes com esta rua no lado par, de Oriente para Ocidente as artérias seguintes: «TRAVESSA DOS POIAIS DE S. BENTO»; «TRAVESSA DO POÇO DOS NEGROS»; «TRAVESSA DO OLEIRO»; «RUA CAETANO PALHA» e «RUA DE S. BENTO». No lado ímpar igualmente de Oriente para Ocidente as artérias: «RUA JOÃO BRÁS»; «RUA DE MARCOS MARREIROS»; «BECO DO CARRASCO»; «RUA DAS GAIVOTAS»; «TRAVESSA DOS MASTROS»; «RUA DOS MASTROS»; «RUA DA SILVA » e «TRAVESSA DOS PESCADORES».
Esta toponímia local faz-nos lembrar muito o mar - GAIVOTAS - PESCADORES - MASTROS, são ainda os restos do labor que caracterizou o sítio.
-
A «RUA DO POÇO DOS NEGROS» tem origem do seu topónimo possivelmente ligado à existência de uma carta régia de «D. MANUEL I», datada de 13 de Novembro de 1515, escrita em «ALMEIRIM» e dirigida à cidade de Lisboa, sobre a necessidade de se construir um poço para depositar os corpos dos escravos mortos, sobretudo aquando de surtos epidérmicos.
Diz a carta que os escravos eram mal sepultados e muitos seriam mesmo lançados (...)"na lixeira que está junto da «CRUZ DA PEDRA» a Santa Catarina (actual Rua Marechal Saldanha) que está no Caminho que vai da porta de Santa Catarina para Santos", ou para a praia onde ficavam à mercê da voracidade dos cães.
Para evitar as deletérias consequências de tantos cadáveres não sepultados, achava o Rei, "que o melhor remédio será fazer-se um poço, o mais fundo que pudesse ser, no lugar que fosse mais conveniente, no qual se lançassem os ditos escravos" e para ajudar a decomposição dos corpos, dizia ainda que se deitasse " alguma quantidade de cal virgem" de quando em quando.
Tal medida seria cumprida pela CÂMARA que o teria mandado fazer no referido caminho para «SANTOS» (descendo a actual "CALÇADA DO COMBRO" conhecido por "HORTA NAVIA"- nome de uma divindade indígena após a ocupação Romana).
A actual localização perdeu-se, mas a aproximação geográfica do antigo «LARGO DO POÇO NOVO» (actual Largo Dr. António de Sousa de Macedo) ao fundo da «CALÇADA DO COMBRO», nome que já nos aparece na segunda metade de Quinhentos em substituição da designação primeva, comodamente parece ajudar na sua localização.
O referido eixo partia da «PORTA DE SANTA CATARINA» até BELÉM, passando por SANTOS onde existia desde o início do século XVI um PAÇO REAL em ALCÂNTARA.
-
-(1) - Foi publicado no dia 23 de Janeiro de 2008 (isto no caso do "LINK" não abrir).
(CONTINUA) - (PRÓXIMO) - «RUA DO POÇO DOS NEGROS [ II ] - A RUA DO POÇO DOS NEGROS ( 2 )»

17 comentários:

Patti disse...

Noutros tempos, gostava muito de passar por ela de eléctrico!

Carlos Henriques disse...

Bom Dia,

A minha zona da meninice, morei trinta e um anos na Rua da Silva, muito obrigado pelos seus ensinamentos sobre o local.

Um abraço,

carlos

APS disse...

Cara Patti
Eu também utilizei muito esta rua (mas a pé).
Descia do eléctrico no «LARGO DO CONDE BARÃO», subia a «RUA DAS GAIVOTAS» e palmilhava quase toda a rua, até à Escola Comercial. Isto quando não descia a «CALÇADA DO COMBRO» mas nesse caso tinha de usar o elevador da BICA e eram mais vinte centavos.
Um abraço
APS

APS disse...

Caro Carlos Henriques
A zona da sua meninice é, particularmente bastante interessante. Se eventualmente residisse mais no final da rua, poderia ver o célebre «PALACIO FLOR DA MURTA»(Hoje um condomínio fechado).
Obrigado pelas suas palavras.
Um abraço
APS

Carlos Henriques disse...

Bom Dia,

Penso que nesse palácio funcionou durante muitos anos a fábrica de iogurtes Veneza, se a memória não me falha. Passava todos os dias à sua frente para me dirigir à Escola Primária Nº 8, na Rua Poiais de S. Bento e mais tarde quando frequentava o Liceu Nacional de Passos Manuel. O Brasão, imponente na esquina do prédio dava-nos uma Aura monárquica ao lugar...

Um abraço,

Carlos

Anónimo disse...

Ora no Palácio acho que nunca houve qualquer fabrica de yogurtes. Pelo menos entre 1936 e 1954. Depois já não posso afirmar. Agora o que havia la era a fábrica de Licores A Esmeralda de António Fernandes dos Santos isso afirmo a pés juntos.
João Mendes
jcsmendes2@clix.pt

APS disse...

Caro João Mendes
Não foi no texto do blogue que viu afirmada qualquer alusão à fábrica de iogurtes.
O comentador "CARLOS HENRIQUES" também não o afirma, entra só numa conjectura. No entanto, depois de 1954 poderá na eventualidade ter existido, dado que este senhor morou 30 anos na "RUA DA SILVA", muito próximo ao "PALÁCIO FLOR DA MURTA". Isto sem por em causa a existência da "FÁBRICA DE LICORES A ESMERALDA" de António Fernandes dos Santos.
Obrigado pelo seu comentário, volte sempre.
Cumprimentos
APS

José Mantas disse...

boa tarde
a rua vulgo travessa da horta nabia, nao era aqui, era em alcantara, onde havia efectivamente um local de culto pagao, e onde existia um chafariz. Investiguei e escrevi uma historia sobre o assunto.

APS disse...

Caro José Mantas
Sem por em causa que existe efectivamente a "Travessa da Horta Navia" na antiga freguesia dos PRAZERES, hoje segundo a Reforma Administrativa de Lisboa de 2013, juntamente com as freguesias; SANTOS-o-VELHO e LAPA, passaram a designar-se simplesmente, freguesia da "ESTRELA". Esta Trav. tem início na Rua Maria Pia Nº 1 e finaliza na Av. de Ceuta.

O caminho percorrido entre as "PORTAS DE SANTA CATARINA" e "BELÉM", passando pela CALÇADA DO COMBRO, "SANTOS", "ALCÂNTARA" até BELÉM, em tempos remotos, chamava-se o percurso da "HORTA NAVIA" (nome de uma divindade indígena após ocupação Romana).
Gostava de ler a história da sua investigação, caso me queira enviar, o meu mail está no final do blogue (Acerca de mim).
Despeço-me com amizade,
Cumprimentos
APS-Agostinho Paiva Sobreira

SniperBet disse...

Confirmo que existiram naquele predio os iogurtes veneza.
Frascos de vidro, que bons eram!!

Fechou na década de 80.

APS disse...

Caro SniperBet
Ainda bem que veio confirmar a existência dos Iogurtes VENEZA. Ficámos com o problema resolvido, levantado pelo Senhor João Mendes.
Muito obrigado
volte sempre!
Cumprimentos
APS

Alina disse...

Boa tarde,
Procuro fotos antigas e datadas da rua Marcos Marreiros (anteriores a 1965).
Alguém terá fotos que possa partilhar comigo?
Agradeço a ajuda,
Alina

APS disse...

Cara Alina

Andei a pesquisar no Arq. Fotográfico da CML e só encontro para a Rua do Poço dos Negros (algumas até datadas de 1908. Fui à GOOGLE EARTH e percorri a "RUA DE MARCOS MARREIRO". Achei muito estreita e talvez não tenha muita história.(Além das histórias naturais de cada morador). Quando existem prédios para demolir, normalmente a CML tira fotos antes das demolições, o que não é o caso.
Infelizmente não a posso ajudar.
Despeço-me com amizade,
Saudações cordiais
APS

Alina disse...

Obrigada pela resposta,
De facto também consultei o arquivo municipal e apenas existe informação a partir de 1965 mas tenho a certeza que o edifício que procuro é mais antigo, embora não haja prova, por isso procurava alguém que tivesse morado na zona e que tivesse fotos e mais informação, mas se facto não sabe agradeço na mesma a amabilidade.
Cumprimentos,
Alina

APS disse...

Cara Alina

Essa ideia de procurar aos vizinhos também me tinha ocorrido, mas existe muito boa gente a morar numa RUA, que não sabe a designação do seu Topónimo.
Existe ainda outra maneira de saber a história de um determinado prédio. Embora dependa também do tempo que tem a sua construção.
A C.M.L. tem um departamento de URBANIZAÇÃO em Lisboa, e não se levanta um prédio ou altera, sem comunicar a esse departamento (que o vai aprovar ou recusar). Com um pouco de boa vontade e levando alguns elementos de referência (como seja o Nº de polícia, a localização bem detalhada, podendo até existir a possibilidade do Nº de polícia ter sido alterado durante o seu percurso de existência). Talvez tenha sorte de resolver o seu problema.
Despeço-me com amizade,
Boa sorte
APS

Isabel Magalhães disse...

Boa tarde, APS.

Vim aqui ver se me esclareço sobre a antiga Horta Navia, actual Calçada do Combro. Depois dou notícias sobre o que encontrar. ;)
Saudações.
IM

APS disse...

Cara Isabel Magalhães

Existe muito texto sobre a "HORTA NAVIA" no "DICIONÁRIO DA HISTÓRIA DE LISBOA" Direcção de Francisco Santana e Eduardo Sucena - 1994 - Lisboa -Pág. 440 e 441 - ISBN: 972-96030-0-6.

No entanto vou enviar um link com a habitual designação que uso. -http://aps-ruasdelisboacomhistria.blogspot.pt/2016/07/rua-de-santos-o-velho-i.html

Espero que sirva este apontamento, mas se puder consultar o dicionário era muito melhor.
Despeço-me com amizade
Saudações
APS