quarta-feira, 25 de maio de 2016

RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES [ XIV ]

«A RUA TERESA GOMES ( 1 )»
 Rua Teresa Gomes - (2015) - A "RUA TERESA GOMES" no sentido Noroeste, que liga com as RUAS "António Pedro" e "António Feijó")  in   GOOGLE EARTH 
 Rua Teresa Gomes - (2015) - (Panorâmica mais aproximada da "RUA TERESA GOMES" na freguesia de "SÃO DOMINGOS DE BENFICA")  in  GOOGLE EARTH
 Rua Teresa Gomes - (2015) - ( O início da "RUA TERESA GOMES" visto da "RUA ANTÓNIO FEIJÓ")  in  GOOGLE EARTH
 Rua Teresa Gomes - (1941) - (Cartaz do filme "O PAI TIRANO", protagonizado por: Maria da Graça, Vasco Santana , Ribeirinho, Leonor Maia, Artur Duarte, Luísa Durão e "TERESA GOMES"  in   HISTÓRIAS DE CINEMA
 Rua Teresa Gomes - (1938) - Caricatura de Júlio de Sousa - ("TERESA GOMES" e "ARMANDO MACHADO" dois actores cómicos, a quem a revista ficou a dever muito dos seus melhores momentos. Quadro da revista "Ó MEU RICO SÃO JOÃO" de A. Leite e H. Campos Mendes, com música de B. Ferreira, A. Lopes e R. Portela, estreado no Teatro SÁ DA BANDEIRA(PORTO).  in  HISTÓRIA DO TEATRO DE REVISTA EM PORTUGAL
Rua Teresa Gomes - (1926) - Publicado no DOMINGO ILUSTRADO - ("TERESA GOMES" uma actriz que desenvolveu a sua veia cómica no Teatro da revista e no Cinema)  in   TOPONÍMIA DE LISBOA


(CONTINUAÇÃO) - RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ACTRIZES [ XIV ]

«A RUA TERESA GOMES ( 1 )»

A «RUA TERESA GOMES» pertence à freguesia de «SÃO DOMINGOS DE BENFICA», começa na "RUA ANTÓNIO NOBRE" e não tem saída.
Por EDITAL de 25 de Outubro de 1971 foi atribuído o seu nome ao arruamento da antiga "RUA PROJECTADA À RUA ANTÓNIO NOBRE" naquela freguesia.


«MARIA TERESA GOMES» ou simplesmente (TERESA GOMES) nasceu em LISBOA em 26 de Novembro de 1882 e faleceu nesta mesma cidade em 12 de Novembro de 1962, com quase 80 anos de idade. Foi uma excelente actriz de TEATRO e do CINEMA português.
A sua vocação para o TEATRO despertou quando ela tinha aproximadamente 30 anos de idade, começando como corista na revista "A MUSA DOS ESTUDANTES" em 1911.

Terá sido numa viagem entre o BRASIL e PORTUGAL que a paixão pelo TEATRO despertou, ao mesmo tempo que o seu coração se perdia de amores por um dos actores que integrava o elenco da COMPANHIA TEATRAL que regressava de uma triunfal digressão pelo BRASIL. Chamava-se "ÁLVARO DE ALMEIDA" e viria a ser seu marido até ao final de sua vida.
Com este relacionamento. TERESA GOMES, que nunca havia experimentado as "LUZES DA RIBALTA", acabou por seguir uma carreira profissional nos palcos do TEATRO, na "COMPANHIA TEATRAL AFONSO TAVEIRA" que a aproveitou.
A sua modéstia levou-a a começar por baixo, como simples corista, tendo estreado (como já foi dito) na revista "A MUSA DOS ESTUDANTES" levada à cena no TEATRO DA TRINDADE. Permaneceu oito anos a sua carreira como corista, até que um dia, decorria o ano de 1918 tudo mudou.
Nesse tempo era habitual a realização de récitas-suplementares dos espectáculos em benefício dos actores. Mas numa determinada revista, por sugestão de TERESA GOMES, que aos poucos foi tendo consciência das dificuldades com que viviam algumas das suas colegas, realizou-se também uma récita destinada às coristas. Existindo uma "simples" particularidade: a peça foi representada com as coristas a fazerem o papel das actrizes e estas a desempenharem o lugar das coristas. Na assistência, sentado na plateia, estava o escritor "EDUARDO SCHWALBACH", que ficou deslumbrado com a prestação de "TERESA GOMES" e disse: " então vocês têm aqui uma pérola destas, com um talento especial para fazer carreira e desperdiçam-na como corista?". E foi assim que "TERESA GOMES" passou, a partir daquela altura, a figurar no elenco dos mais diversos espectáculos...  como actriz.
"TERESA GOMES" conheceu grandes êxitos participando em enumeras revistas. No ano de 1919 - HAJA SAÚDE ( 1 ) - de António Torres e Fernando Ferreira, representada no Teatro da TRINDADE. Foi nesta revista que saiu do anonimato das coristas para o primeiro plano, ao interpretar "COMMÈRE" (Comadre, mexeriqueira e bisbilhoteira). Nesse mesmo ano "O PÉ DE MEIA" com TERESA GOMES na rábula "RALACICE" sendo o autor da revista "EDUARDO SCHWALBACH", música de "ALVES COELHO (pai), exibido no Teatro S. LUIZ; 1926 - "OLARILA" de Luis Galhardo no Teatro MARIA VICTÓRIA;  1927 "A ALDEIA DOS MACACOS" de Lino Ferreira e música de ALVES COELHO (pai), no Teatro POLITEAMA; 1935 - "ANIMA-TE ZÉ" no Teatro MARIA VICTÓRIA;  1938- "Ó MEU RICO SÃO JOÃO" de A. Leite e Música de R. Portela ( 2 ) (Dois actores cómicos, a quem a revista ficou a dever muitos dos seus melhores momentos- ARMANDO MACHADO e TERESA GOMES);  1941 - "MANDA VENTAROLAS", no Teatro MARIA VICTÓRIA;  1956 - "HAJA SAÚDE" de José Galhardo no Teatro ABC; 1957 - "TOCA A MÚSICA" de Amadeu do Vale e Aníbal Nazaré, Música de J. Mendes e Tavares Belo, apresentado no Teatro MARIA VICTÓRIA: Despede-se da revista com "ENCOSTA A CABECINHA E CHORA" (1959) de Amadeu do Vale, Aníbal Nazaré, Música de Fernando de Carvalho, Carlos Dias e Tavares Belo, apresentado no TEATRO MARIA VICTÓRIA.

( 1 ) - Existiu em 1956 outra Revista com o mesmo nome de José Galhardo representado no Teatro ABC.
( 2 ) - Apresentado no Teatro SÁ DA BANDEIRA no PORTO.

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«RUAS DE LISBOA COM NOMES DE ARTISTAS[ XV ]A RUA TERESA GOMES ( 2 )». 
Enviar um comentário