quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

ESTRADA DE CHELAS [ IV ]

«DA ESTRADA DE CHELAS À QUINTA DA CONCEIÇÃO»
 Estrada de Chelas -  ( 2017 )  -  (O edifício onde funcionava a "TUNA RECREATIVA - JUVENTUDE CHELENSE" e a  "JUNTA DE FREGUESIA DO BEATO", encontrando-se em estado de abandono, na antiga "QUINTA DA CONCEIÇÃO")     in   GOOGLE EARTH
 Estrada de Chelas  -  (2017)  - (Panorama mais aproximado da "QUINTA DA CONCEIÇÃO", aspecto geral da antiga "TUNA DE CHELAS" e "JUNTA DE FREGUESIA DO BEATO", após o incêndio, esperando urbanização adequada).    in    GOOGLE EARTH
 Estrada de Chelas -  (ant. a 14.10. 1987) Foto de António Sachetti  -  ( A "TUNA RECREATIVA -A JUVENTUDE CHELENSE", no espaço da antiga "QUINTA DA CONCEIÇÃO" na "CALÇADA DO TEIXEIRA", com vista para a "ESTRADA DE CHELAS")  in  CAMINHO DO ORIENTE   
 Estrada de Chelas  - (ant. a 14.10.1987)  Foto de António Sachetti  -  (Edifício na antiga "QUINTA DA CONCEIÇÃO" a "TUNA RECREATIVA - A JUVENTUDE CHELENSE" e a  "JUNTA DE FREGUESIA DO BEATO", na "CALÇADA DO TEIXEIRA")  in  CAMINHO DO ORIENTE
 Estrada de Chelas -  (1968-10) Foto de João Hermes Cordeiro Goulart  -  (A "ESTRADA DE CHELAS" próximo do Viaduto Ferroviário mais alto, junto do   final da Estrada de Chelas)  in   AML
Estrada de Chelas  -  (191_)  Foto de Jushua Benoliel  -  ("Viaduto Ferroviário de Chelas" a Norte da "ESTRADA DE CHELAS", um dos suportes da "LINHA DE CINTURA DE LISBOA" de Alcântara Mar, passando por Chelas e finaliza em Marvila) (ABRE EM TAMANHO GRANDE)  in  AML 

(CONTINUAÇÃO)-ESTRADA DE CHELAS [ IV ]

«DA ESTRADA DE CHELAS À QUINTA DA CONCEIÇÃO»

A QUINTA DA CONCEIÇÃO - Passamos o "PALÁCIO DO LAVRADO", a ponte ferroviária do "LAVRADO", depois do barranco surge-nos grupos de casas de um e de outro lado. No lado esquerdo temos a "RUA DE SOL A CHELAS" e mais à frente fica a "QUINTA DA CONCEIÇÃO", que corresponde à "CALÇADA DO TEIXEIRA".  Um bom exemplar de "QUINTA" arrabaldina (de transição do século XVII para o século XVIII) com pátio, pequena Capela e varanda sobre a "ESTRADA DE CHELAS". Construída por "JOSÉ SOARES DE MELO", herdeiro (1697) dos prazos do pai, "FRANCISCO NUNES SANTARÉM" da "JUNTA DO COMÉRCIO". Esta casa fica conhecida, sobretudo por ter pertencido a partir de (1736) à família  "VAN PRATT",  de origem Flamenga, instalada em LISBOA, como muitos outros estrangeiros, pelas ligações ao grande "COMÉRCIO ULTRAMARINO".  "JÁCOME VAN PRATT", natural de ANTUÉRPIA, era já morador em LISBOA em 1685, casado com uma portuguesa e pai de outro "JÁCOME" e de "ANTÓNIO", futuros proprietários desta "QUINTA", e de duas filhas, casadas respectivamente com "JOÃO BAPTISTA VAN ZELLER, Morgado nos OLIVAIS, e "JOAQUIM JANSEN MOLER" demonstrando bem a rede de alianças e de interesses entre as comunidades estrangeiras nessa época,  estabelecidas em LISBOA.
"ANTÓNIO VAN PRATT" foi um activo comerciante com a ÍNDIA e o BRASIL, com abastada casa na região de LISBOA, morrendo em 1743 e instituindo por testamento um Morgado. Sucedeu-lhe o filho mais velho "JOSÉ ANTÓNIO VAN PRATT", cego de nascença e figura turbulenta, pelas questões que levantou ao longo da sua vida, deixando memória nem sempre simpática na ZONA DE CHELAS, onde ficou gravada a figura irascível de feitio quezilento que se deslocava guiado por um menino, e o indispensável bordão de cegueira.
Além das casas e dos restos mais ou menos preservados, a história dos lugares é também feita destas figuras lendárias, que perturbam pelo seu comportamento a vida pacata de uma ZONA DE QUINTAS, hoje esfumada por uma pressa sem lugar para cultivo de memória.
Nesta casa solarenga da "QUINTA DA CONCEIÇÃO" com o seu Pátio anexo do século XVIII, onde esteve instalada de 01.01.1909 a 14.10.1987, a "TUNA RECREATIVA -A JUVENTUDE CHELENSE", era uma colectividade de cultura e recreio sendo a mais antiga da zona, que a 10 de Maio de 1986 era publicado no Diário da República, Nº. 107, página 4464 - como de "UTILIDADE PÚBLICA".  O imóvel encontra-se em estado avançado de degradação, além de em 2 de Dezembro de 2012 o "CORREIO DA MANHÃ" anunciava que tinha deflagrado um incêndio na madrugada de Domingo, consumindo parte do edifício.
Esta  "TUNA RECREATIVA" era frequentada normalmente pela maioria dos seus associados, pessoas que viviam próximo e até moradores de XABREGAS.  Lembramos que nos anos 50 do século passado, primeiro dos bailes ali realizados, depois a organização dos "CÍRIOS DE CHELAS" que desciam a "ESTRADA DE CHELAS", passando pela "RUA GUALDIM PAIS" em romaria, embarcando em vários pequenos barcos todos enfeitados, que os esperavam na "PRAIA DE XABREGAS", (também conhecida pelo povo local de "PRAIA DA MARABANA") para os levarem com destino ao cais do MONTIJO , e entre cantos e rezas se procedia a pé até à localidade da "ATALAIA", na outra margem do TEJO.

Em 1970 ainda estava instalada nesta "CASA SOLARENGA" no primeiro andar, uma dependência da "JUNTA DE FREGUESIA DO BEATO".
Passando o último "VIADUTO FERROVIÁRIO  DE CHELAS" vamos encontrar uma rampa que nos conduz ao apeadeiro de CHELAS, construído em 1890, virando um pouco à direita antes de entrar na "CALÇADA DA PICHELEIRA", estamos próximos do "LARGO DE CHELAS" onde se situa o mítico "CONVENTO DE CHELAS". 

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«ESTRADA DE CHELAS [ V ]-O CONVENTO DE CHELAS (1)».
Enviar um comentário