sábado, 24 de fevereiro de 2018

ESTRADA DE CHELAS [ V ]

«O CONVENTO DE CHELAS ( 1 )»
 Estrada de Chelas -  (1835)  - Levantada pela Direcção e Coordenação do Engº. J. D. da Serra  - (Pormenor da Carta das linhas de Fortificação de Lisboa, vendo-se algum traçado da Estrada de Chelas sendo o traço a negro sinuoso, que faz o percurso de perto do CONVENTO DE CHELAS até ao RIO TEJO, será, eventualmente o esteiro, hoje assoreado)  in   RUAS DE LISBOA
 Estrada de Chelas -  (Século XIX) - Desenho de Gonzaga Pereira  -   (Entrada  principal do "CONVENTO DE CHELAS" cuja IGREJA tem como orago a figura de "S. FELIX")  in  CAMINHO DO ORIENTE I
 Estrada de Chelas  -  (1994) - Foto de António Sachetti  - (Entrada da Igreja do "CONVENTO DE CHELAS" com seu portal "MANUELINO")   in   LISBOA, UM PASSEIO A ORIENTE
 Estrada de Chelas  -  (1994 )  - Foto de António Sachetti  -  (Interior da IGREJA do "CONVENTO DE CHELAS)  in   LISBOA,  UM PASSEIO A ORIENTE
Estrada de Chelas  -  (1998) - Foto de António Sachetti  -  (Banco forrado de  azulejos, no Claustro do "CONVENTO DE CHELAS")   in   CAMINHO DO ORIENTE I


(CONTINUAÇÃO) - ESTRADA DE CHELAS [ V ]

«O CONVENTO DE CHELAS ( 1 )»

Em 1604 no local da implantação destes edifícios, foram recolhidos vestígios "EPIGRÁFICOS( 1 ) da ocupação Romana.  Foi ainda ali encontrado o "SARCÓFAGO DOS ESCRITORES", assim chamado por no respectivo friso ter quatro "MUSAS".  ( TÁLIA da Comédia; CLIO da História; POLIMNIA da Arte Mímica  e  MELPÓNENE da Tragédia), cada qual acompanhando um escritor). Nesse mesmo lugar teria existido no século VII  a. C. um templo de "VESTAIS", dedicado a "TÉTIS" (Deusa Grega do mar, mãe de  "AQUILES") onde, segundo a lenda, ULISSES foi buscar AQUILES, que lá se refugiara. Do nome de "AQUILES" teria possivelmente derivado "ACHELAS" e passando depois a "CHELAS", que no tempo de "DOM JOÃO I" se grafava também "CELHAS".
Os primórdios do "CONVENTO" remontam, pelo menos, ao ano de 665,  em que "RECESVINTO"(653-672) governava a Monarquia "VISIGÓTICA" e teria recebido as relíquias de S. FELIX (trazidas numa barca pelo "ESTEIRO" que então banhava o "VALE DE CHELAS"), martirizado em "GERONA" ( 2 ) no ano de 30. 
No século IX, "AFONSO III DE LEÃO" o "MAGNO", tomou LISBOA aos MOUROS e terá entregue ao "CONVENTO" as relíquias dos Mártires "SANTO ADRIÃO" e de sua mulher "SANTA NATÁLIA", provenientes da "GALIZA".
«DOM AFONSO HENRIQUES» em 1147 iniciou a reconstrução do "CONVENTO", fê-lo sagrar de novo, tendo-o   doado aos "TEMPLÁRIOS".  "DOM SANCHO I em 1192 fez-lhe uma importante doação.  Do antigo edifício restaurado entre 1219 e 1226,  durante  a 1.ª Dinastia  ( de D. AFONSO I e D. SANCHO I), podemos ainda encontrar no MUSEU DO CARMO, algumas cantarias do período VISIGODO.

Até  1219, o CONVENTO  teria sido "duplex", com uma comunidade masculina e outra feminina, à qual o bispo de LISBOA "D. SOEIRO VIEGAS"  o entregou naquele ano.

Em 1290 estava já o CONVENTO na posse da "ORDEM DE SANTO AGOSTINHO", chegando a dispor de notável autonomia e influência.
No início do século XVI, "DOM MANUEL I" fez obras no CONVENTO e na IGREJA, que lhe dotou com um notável pórtico.
Em 1604 vamos encontrar alterações  e intervenções feitas pelo ARCEBISPO "D. MIGUEL DE NORONHA", embora ainda subsistem na IGREJA, vestígios das obras do reinado do rei "venturoso", entre as quais o notável "PORTAL DA IGREJA" trilobado e com três "COGULHOS" ( 3 ) que se projectam sobre o forro de azulejos, contemporâneos das obras do século XVI.

- ( 1 ) - EPIGRAFIA - Ciência que estuda as inscrições antigas, em pedra, metal, argila, cera, madeira etc.,  incluindo a sua decifração, datação e interpretação.
- (  2  ) - GERONA - Cidade CATALÃ na altura sob o domínio BIZANTINO.
( 3 ) - COGULHO- o m. q. COGOILO ou CROCHETE. Espécie de "PAQUIFE" (HERÁLDICA) (que representa folhagem que sai do elmo e serve de ornato ao escudo), com que adornam "Cornijas".

(CONTINUA)-(PRÓXIMO)«ESTRADA DE CHELAS[VI ]O CONVENTO DE CHELAS ( 2 )».
Enviar um comentário