sexta-feira, 25 de abril de 2008

RUA DO ARSENAL [ VII ]

Rua do Arsenal (1974) Fotógrafo não identificado (Salgueiro Maia um homem do 25 de Abril de 1974) in http://www.sintravox.com/
Rua do Arsenal - (1974) Fotógrafo não identificado´(Salgueiro Maia enfrenta a unidade hostil) in jornada.wordpress.com

Rua do Arsenal - (1974) (Fotógrafo não identificado) (Salgueiro Maia ao encontro do Brigadeiro que comandava as forças fiéis ao regime) in ocristo.blogs.sapo.pt



(CONTINUAÇÃO)
RUA DO ARSENAL
«EPISÓDIO DO 25 DE ABRIL NA RUA DO ARSENAL»
A Rua do Arsenal foi palco de um episódio bastante marcante, na manhã do dia 25 de Abril de 1974.
Aqui, nesta rua, era o coronel Romeira Júnior quem comandava os dois carros de combate que faziam parte da força às ordens do brigadeiro Junqueira dos Reis: a restante força estava na Avenida da Ribeira das Naus.
Previa-se o confronto: Salgueiro Maia mandou parlamentar Alfredo Assunção, tenente da Escola Prática de Cavalaria. Mas Junqueira dos Reis não querendo ouvi-lo, agrediu-o.
O emissário de Salgueiro Maia enfrentou firma, sem ripostar à agressão feita pelo brigadeiro, respondeu com uma aprumada continência. Apesar da correcção do oficial subalterno, Junqueira dos Reis não ficou satisfeito e mandou disparar sobre o tenente que, graças à pronta intervenção do coronel Romeira Júnior, ninguém disparou. Tendo o parlamentar voltado ileso para junto do Capitão Salgueiro Maia.
Entretanto o brigadeiro Junqueira dos Reis ainda não tinha desistido dos seus intuitos bélicos, guardando-os para a Avenida da Ribeira das Naus.
O pior passou, nenhuma arma foi ali disparada.
Estava ao largo no Tejo frente à Praça do Comércio, um vaso de guerra cujo propósito se desconhecia se era a favor ou contra o movimento revoltoso.
Aqui na Rua do Arsenal tinha-se passado um mau momento, e Salgueiro Maia caminha de cabeça erguida, pela linha do eléctrico enfrentando o perigo, conseguindo apaziguar a ira.
O Homem de Santarém não era ainda um alvo...
Ultrapassados vários anos depois da Revolução do 25 de Abril de 1974, ficamos com a convicção de que a vitória da Revolução começou a decidir-se na «RUA DO ARSENAL».
Enviar um comentário