segunda-feira, 14 de Abril de 2008

RUA DOS POIAIS DE SÃO BENTO [ I ]

Rua dos Poiais de S. Bento - (2007) Foto Dias dos Reis (Convento de S. Bento da Saúde actual Parlamento) in www.pbase.com
Rua dos Poiais de S. Bento - (2004) Foto de Gonçalo Lopes (Convento de S. Bento actual Assembleia da República) in http://pt.trekearth.com/
Rua dos Poiais de S. Bento - (Inicio do século XX) Foto Alberto Carlos Lima in AFML
Rua dos Poiais de S. Bento, 18 a 22 - (Entre 1898 e 1908) Fotógrafo não identificado) in Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa


RUA DOS POIAIS DE SÃO BENTO» pertence a duas freguesias. À freguesia de SANTA CATARINA todos os números ímpares, à freguesia das MERCÊS os números pares. Começa no Largo Dr. António de Sousa Macedo 2-A e finaliza na Rua de S. Bento no número 90.


A zona onde se situa esta Rua, aliás como todo o espaço entre o Poço dos Negros e o Rato, tem a sua história ligada ao século XVI e à instalação dos beneditinos no local onde existia a QUINTA DA SAÚDE, propriedade de Antão Martines. Ali, por ocasião de uma peste, se instalara um hospital, que lhe veio a dar o nome. Comprada pelos frades já instalados num pequeno convento na Estrela, passou para o património da Ordem.
Mandaram construir a um prestigiado arquitecto - Baltazar Álvares - um grande edifício que viria a ser a cabeça da província portuguesa beneditina e a que deram o nome de Convento de S. Bento da Saúde.
Começou assim a «urbanização» daquela encosta onde até à altura, como em toda a parte ocidental de Lisboa, só havia terras de semeadura, olivais e vinhedos.


Vamos agora falar um pouco da vida deste Convento, que ao longo dos séculos vem influenciando a vida portuguesa.
O CONVENTO DE S.BENTO DA SAÚDE, grandioso, imponente mas sempre inacabado por falta de verbas, foi numerosas vezes ocupado por diversas instituições.
Depois de proclamada a Constituição Política da Monarquia, os Monges de S. Bento da Saúde tiveram de se abrigar na casa-mãe do Mosteiro de Tibães tendo ai permanecido em 1822-1823. Uma Portaria de 1833 decidiu instalar as Cortes, com as duas Câmaras, neste imenso edifício.
O edifício continuou a sede das instituições que sucederam às Cortes. No entanto, perdurou sempre o uso corrente da designação religiosa do monumento e da sua posterior adaptação cível, a qual transcende políticas: Palácio de S. Bento. Daí que na linguagem corrente se use desde o século XIX a expressão «S.BENTO».


O Palácio de S. Bento conserva aproximadamente a volumetria do convento beneditino, mas este sofreu tão grandes alterações que o monumento actual se pode considerar essencialmente oitocentista, apesar de alguns vestígios anteriores.
A escadaria nobre è atribuída a António Lino, a fachada principal a Marque da Silva e a escadaria exterior principal a Luís Cristiano da Silva. Em frente do Palácio, nasceu uma zona de protecção, desenvolvendo-se a escadaria principal, em cuja base foram em 1942 colocados dois Leões de pedra, da autoria de Raul Xavier. Na fachada principal destaca-se o corpo central, avançado, moderno, mas onde foram mantidos os cinco arcos.
Tal como sucedeu com as instalações, também o recheio do Palácio tem sido alterado, estando em curso um recente projecto de aumentar o recheio móvel artístico, sobretudo com a recuperação de peças da própria Assembleia da República que se encontravam dispersas e estão a ser restauradas. O Palácio de S. Bento constitui um verdadeiro Museu de artes plásticas e decorativas portuguesas dos séculos XIX e XX, havendo a preocupação de o continuar a enriquecer nestes domínios. Não menos importante é o enquadramento do Palácio, tanto no domínio urbanístico como na sua relação com os jardins, espaços e edifícios circundantes.
(CONTINUA)



2 comentários:

RatoeBixo disse...

Prezado APS
Sou arquitecto, licenciado no curso de Arquitectura da Escola Superior de Belas Artes de Lisboa - ESBAL (tenho 60 anos, portanto isto já se passou há mais de 30...). Vivo no Brasil e gostei muito do seu blog pela conotação óbvia que tem com os temas que me interessam. Gostaria de saber se possui alguma informação sobre o convento beneditino onde a ESBAL funciona. Como não vi o seu endereço de email no seu blog, estou a usar este expediente para contactar consigo (como já notou, não se trata de um comentário). O meu email é fernandobensabat@gmail.com.
Obrigado
Fernando Bensabat

APS disse...

Caro Fernando Bensabat
Agradeço as suas amáveis palavras sobre o meu BLOGUE.
Enviei um e-mail mais detalhado.
(Uma rectificação em vez do dia 20.02.2008, deve ser 21.02.2008)
Mais uma vez obrigado e mande sempre,
APS