quinta-feira, 8 de maio de 2008

PRAÇA DO PRÍNCIPE REAL [ VI ]

Praça do Príncipe Real, 26 - (2000) Fotógrafo não identificado (Palacete José Ribeiro da Cunha) in www.kwayneheil.com
Praça do Príncipe Real, 21-23 - (1965) Foto de Armando Serôdio (Palacete dos Anjos no lado nascente da Praça) in Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa

Praça do Príncipe Real - (1960) Foto de Arnaldo Madureira (Palacete dos Anjos ) in AFML




(CONTINUAÇÃO)
PRAÇA DO PRÍNCIPE REAL
«PALÁCIOS CIRCUNDANTES»
Em redor do Largo alinham-se Palacetes da segunda metade oitocentista. Erigidos por brasileiros ricos e nobres, alguns animaram famosos salões da monarquia constitucional e da República. No tempo acolheram empresas variadas e organismos oficiais.
Entra a Rua da Escola Politécnica e a D. Pedro V erguem-se prédios construídos para arrendamento alguns da primeira metade de oitocentos, enobrecidos por alguns Palacetes.
«PALACETE RIBEIRO DA CUNHA»
O Palacete com o número 26 da Praça do Príncipe Real, fazendo esquina para a Calçada do Patriarcal, tem projecto assinado pelo Arquitecto «HENRIQUE CARLOS AFONSO» e deu entrada na Câmara Municipal no ano de 1877.
O seu proprietário «RIBEIRO DA CUNHA» prospero negociante de tabaco, escolheu para o seu palacete um estilo neo-árabe, devendo-se mais à cenografia do que à arquitectura tradicional portuguesa daquela época.
Como nota curiosa, transcrevemos um registo publicado em 1913 na revista «Ocidente» que nos relata: «este edifício era uma cópia ou imitada de um edifício de «MANAUS» (Brasil), o que terá verosimilhança na origem brasileira dos capitais do construtor»
Mais tarde o Palacete é vendido a outro grande e famoso capitalista lisboeta, «ERNESTO SEIXAS» (o dito "SEIXAS DO ROSSIO"), que volta a fazer obras, mas de pouca relevância. As obras de Ernesto concentram-se mais no Jardim e Estufa em 1912, e um pavilhão para carruagens em 1916.
O edifício conhece outro dono, outro capitalista de fortuna Colonial «MANUEL CAROÇO», e pelo casamento de sua filha, vai parar à posse do médico «LOPO DE CARVALHO».
Sem mostrar grandes alterações, o Palacete «RIBEIRO DA CUNHA», chega até nós como Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, permanecendo o último andar habitado pelos seus proprietários.
Depois de vários anos fechado, consta-se que vai ali nascer um Hotel de luxo.


«PALACETE DOS ANJOS»
Este Palacete situado também na Praça do Príncipe Real no número, 21 a 23 com aspecto bastante sólido, encontra-se já próximo da entrada da Rua da Escola Politécnica.
O capitalista bem sucedido, «POLICARPO FERREIRA DOS ANJOS», foi o seu primeiro proprietário.
As obras de construção foram dirigidas por «G. CINATTI», é de salientar que foi mais sobre o interior que este arquitecto decorador, terá dedicado a sua intervenção.
Data de 1762 que esta casa é referenciada na documentação de «CASA-NOBRE» e no primeiro livro da Décima afirma habitada por um tenente-General «MANUEL GOMES DE CARVALHO E SILVA».
Em 1818, habitavam a casa os Marqueses de Penalva «D. FERNANDO TELES DA SILVA e D. EUGÉNIA DE AGUILAR».
Entre os anos de 1912 e 1917 foi «LEGAÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS», e depois sede da «ESCOLA SUPERIOR COLONIAL» (depois INSTITUTO) e, finalmente, uma dependência do «BANCO DE PORTUGAL».


BIBLIOGRAFIA
Dicionário da História de Lisboa - Direcção de Francisco Santana e Eduardo Sucena.
França, José-Augusto - A Sétima Colina-Lisboa-1994;Lisboa Pombalina e o Iluminismo-Lisboa-1987 e Monte Olivete - Minha Aldeia-Lisboa-2001.

3 comentários:

Anónimo disse...

Muitos parabéns pelo blog

pilar seixas disse...

parabeins pelo blog adorei ver a casa aonde o meu pai jorge cast de seixas nasceu os jardins eram conhecidos como os (particulares )mais lindos de lisboa

APS disse...

Agradeço as suas amáveis palavras a este blogue.

Fico feliz por ter causado alguma alegria.

Devo acrescentar que este edifício é um "icon" da "PRAÇA DO PRÍNCIPE REAL", pela sua característica arquitectónica neo-Árabe.
Despeço-me com amizade,
Cumprimentos
APS-Agostinho Paiva Sobreira