quarta-feira, 14 de maio de 2008

PRAÇA DUQUE DA TERCEIRA [ VI ]

Praça Duque da Terceira - (2008) Foto de APS (Estátua ao Duque da Terceira)
Praça Duque da Terceira - (2008) Foto de APS (A Praça com a estátua)

Praça Duque da Terceira - Autor desconhecido ( Duque da Terceira) in http://www.projectotio.net/



(CONTINUAÇÃO)
PRAÇA DUQUE DA TERCEIRA
«DUQUE DA TERCEIRA E SUA ESTÁTUA)

António José de Sousa Manuel de Menezes Severim de Noronha nasceu em Lisboa no dia 18 de Março de 1792 e faleceu também em Lisboa no dia 26 de Abril de 1860.
Foi 7º Conde e 1º Marquês de Vila Flor e ainda 1º Duque da Terceira, um importante general e homem de Estado português no tempo do liberalismo, sendo uma das mais importantes figuras dessa altura, tanto no plano político, como no plano militar.
Entrou para o exército com 10 anos e aos 15 era alferes.
Combateu na Guerra Peninsular, expulsando os invasores franceses, foi depois, durante pouco tempo,ajudante de ordens de S. Miguel.
Na verdade, as suas ideias nada tinham a ver com as do Rei absoluto. Aderiu à causa liberal e foi nomeado governador da Ilha Terceira.
Aí teve notável acção militar e organizou as forças que haveriam de dirigir-se ao continente.
Participou então no desembarque do «MINDELO», comandou a expedição até ao Algarve e daí arrancou para o ataque vitorioso em Lisboa.
Chegou a participar em movimentos de ordem política, onde a sua acção não foi tão brilhante como lhe tinha acontecido como militar. Depois de elevado a marquês de Vila Flor, recebeu o titulo de Duque da Terceira.
Colocada no centro da Praça com o seu nome o monumento foi inaugurado em 24 de Julho de 1877. Uma estátua em sua honra, obra do escultor José Simões de Almeida, sendo o risco da autoria do arquitecto José António Gaspar.
Assim ficou simbolizado o General e Estadista, com o chapéu sob o braço esquerdo o bastão de marechal na mão direita, pendendo-lhe do peito a Ordem da Torre e Espada. Em volta, as inscrições lembram as grandes datas: A «Guerra Peninsular», as «Campanhas da Liberdade», o «24 de Julho».


(CONTINUA) - (Próximo - «O HOTEL CENTRAL»

1 comentário:

Hilário Godinho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.